quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Perfil - Entre 15 e 30 Linhas - José Saramago



Confesso que nunca consegui ler nada do Prémio Nobel da Literatura Portuguesa (1998).

Parece incrrível, não é?

Um Português não ler o seu primeiro Prémio Nobel da Literatura!

Mas é verdade e explico porquê.

Não ponho em dúvida o mérito deste escritor, pois caso contrário, não seria Prémio Nobel. Mas o problema não reside aí. A sua escrita é quase isenta de pontuação. É uma escrita muito própria à qual ainda não me habituei.
Mas uma coisa é certa. Tenho cá em casa vários livros dele, inclusivé o que escreveu pós-Prémio - "A Caverna" - com uma dedicatória do Autor.

Fica aqui a promessa. Se os outros lêem, eu também tenho de ler!

Em acabando o livro que estou a ler, vou pegar em Saramago e tentar compreender a sua escrita.

Um desafio a mim mesmo!

Deixo-vos o link da sua home page para que possam visitar e ficar a conhecer melhor José Saramago.


2 comentários:

MiguelAngel disse...

"Antes gostávamos de dizer que a direita era estúpida, mas hoje em dia não conheço nada mais estúpido que a esquerda."
Confessou José Saramago, durante conferência na Espanha, caindo na real com algumas décadas de atraso.
Bem, antes que nunca. Porque antes disso, nosso prêmio Nobel stalinista, achava Fidel Castro um grande estadista, líder de um paraíso socialista na América Latina. E acreditou nisso durante muuuitos anos. Por isso, meu amigo, não te preocupes com o tempo que levares para realizares esse teu desafio. Ele que espere.
PS: existem outros 'desafios' mais interessantes entre os grandes autores portugueses, como "Poemas para Crianças de Fernando Pessoa", recentemente lançado pela Martins Editora, aqui no Brasil.
Abçs

Gustavo do Carmo disse...

Eu demorei nove meses para ler As Intermitências da Morte. Cheguei a abandonar, mas retomei. Saramago nunca mais.

Arquivo do blog