Recent Post

quinta-feira, 22 de junho de 2017






João Paulo Mesquita Simões





O Homem, desde sempre, e com a sua capacidade de pensar, foi desenvolvendo a sua maneira de viver e de estar na Sociedade.

Um dos fatores  que levou ao desenvolvimento da Sociedade, foi a Indústria. Aprendeu a transformar materiais de origem vegetal e animal, em vestes para se cobrir nos invernos mais rigorosos.

0

terça-feira, 20 de junho de 2017


Amassados! Cara, você não consegue desligar o botão de negócios, não é mesmo?”

0

segunda-feira, 19 de junho de 2017



Conto de Gustavo do Carmo

Sou pároco há quarenta anos de uma igreja do subúrbio do Rio de Janeiro. Faço casamentos, batizados, unções dos enfermos e, claro, missas dominicais, comemorativas e fúnebres. Também reservo um dia para as confissões. Toda quarta-feira aqui na paróquia.

Antigamente, as confissões eram mais movimentadas. Havia fila enorme de pessoas. A maioria era de senhoras, mas tinha muito homem também. Hoje, com a internet e suas redes sociais, onde os jovens (e até idosos) confessam seus pecados para todo o planeta, a igreja vive vazia. Tanto que eu estou tirando esta programação da agenda, deixando apenas para marcar com o fiel. Se houver muita procura, eu retomo a atividade.
0

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Por dudu oliva




0

quinta-feira, 15 de junho de 2017

João Paulo Mesquita Simões






Já lá vai o tempo em que o principal hobbie de um jovem era colecionar selos, moedas, calendários, miniaturas de automóveis, e outros tipos de coleção.

Os tempos mudam, as vontades também, e eu não me canço de escrever sobre o impacto que as Novas Tecnologias têm hoje no desenvolvimento da criança e do jovem, levando-os a abandonar estes hobbies em troca dos telemóveis, dos computadores e, sobretudo, das redes sociais.

Num artigo publicado anteontem num site noticioso português, "Notícias ao Minuto", encontrei esta notícia que reflete aquilo que acabei de escrever.

"Desengane-se quem pensa que Hélder Sarmento está a vender a sua vasta coleção de selos. Entre os vendedores de coleções no OLX, no entanto, o sexagenário é quem tem mais anúncios.
Os largos milhares de selos que vende ou dá para a troca são “50 vezes” a sua coleção, que pretende manter. São todos “excedentários”, organizados por temas.
Com um valor superior ao custo de “dois apartamentos”, a coleção de Hélder “deve estar entre as 100 mais completas do mundo”, diz. Os selos que lhe faltam são raros e alguns podem custar milhões.
Foi precisamente o processo necessário para encontrar um selo em falta que originou tão grande quantidade de elementos repetidos. Com o dinheiro que ganha ao vender selos que já tem, Hélder compra lotes por atacado e procura os que lhe interessam. “Um baú fechado é o que motiva, às vezes encontram-se coisas extraordinárias”, conta.
Sete ou oito vezes por mês entra em contacto com casas filatélicas em Portugal e Espanha, que já o conhecem e têm o seu número guardado para o caso de surgir um selo potencialmente interessante.
Hélder herdou a coleção do pai, que por sua vez a herdou do seu pai - três gerações de filatelistas a trabalhar para um mesmo objetivo. Uma coleção destas “tem de ser mexida” e Hélder dedica-lhe seis horas por dia. Já o pai, com 88 anos, passa sete ou oito horas ‘à volta’ dos selos".

In: https://www.noticiasaominuto.com/pais/789863/adeus-colecao-vender-o-que-demorou-anos-a-conseguir-reunir?utm_medium=email&utm_source=gekko&utm_campaign=daily 

Quando esta geração de septuagenários terminar, os seus filhos e netos, não quererão por certo saber da coleção que tanto custou a fazer, vendendo-a por isso, ao desbarato!

Exemplo disso, foi um caso passado comigo, em que um amigo meu, após o falecimento do pai, me quis vender a coleção de selos, pois nem ele nem os irmãos colecionavam, nem pretensões a isso tinham. 

Mais uma vez, deixo o apelo para que não vendam ou se desfaçam do selo. Guarde a sua coleção, dedique-se a ela, e verá o quanto vai aprender com ela! 
0

terça-feira, 13 de junho de 2017


Um homem sai do provador. Ele para. Analisa a jaqueta branca que ele está agora usando. Dá um enorme sorriso com as sobrancelhas e pergunta para a vendedora da loja:

0

segunda-feira, 12 de junho de 2017



Conto de Gustavo do Carmo

Era a primeira que reencontrava o ex-marido após a assinatura do divórcio. Foram casados por apenas dois anos, mas namoraram durante quase vinte, quando Andrea e Fábio ainda estavam na adolescência. Agora Andrea é noiva de Cornélio, um jornalista que conseguiu o seu primeiro emprego de repórter cultural aos 35 anos, indicado por um ex-colega de faculdade.

Cornélio e Andrea conheceram-se na revista onde ele trabalhava como repórter. Ela, fotógrafa. Começaram a namorar três meses depois dele chegar à revista. No ano seguinte já marcaram o casamento.
0

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Por dudu oliva


0

quinta-feira, 8 de junho de 2017





João Paulo Mesquita Simões




Em 1925, sai uma bonita emissão comemorativa do Centenário do Nascimento de Camilo Castelo Branco, escritor português, romancista, cronista, crítico, dramaturgo, historiador, poeta e dramaturgo, sendo um dos escritores portugueses mais prolífero e marcante da Literatura Portuguesa.

Há quem diga que foi maçon. 

Teve uma vida atribulada, que lhe serviu muitas vezes de inspiração para as suas novelas. 

0

terça-feira, 6 de junho de 2017


A mulher com visual steampunk andava pelas áridas terras vermelhas de um deserto. Os óculos redondos de aviador a ajudava a manter os olhos abertos em meio a tanta poeira. Usava um poncho cinza com detalhes bordados em vermelho vinho. Componentes metálicos faziam parte de seu vestido e uma forte bota do exército, mais uma pistola com partes cromadas completavam a vestimenta.

0

Arquivo do blog