sexta-feira, 23 de setembro de 2016

MEIA NOITE EM PARIS DE WOODY ALLEN

Por dudu  oliva



quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A Filatelia e as Redes Sociais

João Paulo Mesquita Simões





 Quando em 1970 com seis anos, comecei a colecionar selos, juntava-os, descolava-os em água, e depois colocava-os no meu álbum. Nessa altura, só colecionava selos portugueses. 

Mais tarde, apareceram os selos estrangeiros e os das antigas colónias portuguesas na minha coleção. 

Um dia, um vizinho e amigo meu, perguntou-me se não queria fazer parte e um cube japonês de troca de selos com pessoas de todo o mundo. Aceitei o desafio, e comecei a escrever para outros colecionadores dos quatro cantos do mundo, enviando selos portugueses e eles, selos dos seus países.

Tenho muitos selos dessas trocas. 

Depois, quando este clube acabou, fiquei cliente de uma casa filatélica que me ia enviando os meus selos temáticos, que ainda hoje continua.

Hoje, com as redes sociais, nomeadamente o Facebook, tenho vários colecionadores com quem me correspondo. A vantagem em relação ao clube japonês, é que podemos enviar em tempo real imagens dos selos que cada um de nós pretende, e perguntar se é possível arranjar.

As Novas Tecnologias, são de facto uma grande ferramenta, permitindo que à distância de um clique, se saiba o que cada um pretende para as suas coleções. Mas não invalida as cartas! É que para que as coleções pedidas sejam enviadas, o remetente envias-as por carta registada. E nessas cartas vêm sempre selos do país emissor. 

 
 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

'Os Enamoramentos' X 'O Coronel Charbet'


“Os Enamoramentos” 
Quem narra é a personagem principal, Maria, funcionária de uma editora, acostumada a lidar com os egos dos escritores e uma observadora da vida, como os bons leitores também são.
Todos os dias, na cafeteria próxima ao seu trabalho, sozinha, Maria observava, com um olhar romântico, um homem e uma mulher que “era como se houvessem adquirido o costume de respirar juntos um pouco”. Na imaginação dela, o casal não havia percebido a sua presença, porém, no decorrer da narrativa, ela descobre que também era assunto do casal perfeito.
O acontecimento que dá o pontapé inicial à narrativa é que Desvern, o homem do casal perfeito, morre de uma forma estúpida. E assim o caminho das duas mulheres se encontra: Luisa, sozinha e infeliz, chama Maria para dividir a mesa da cafeteria.
O homem morto permanece vivo no romance e outros personagens dão estrutura suficiente para que a história continue interessante, afinal, quando um personagem morre no início da trama, o mistério precisa continuar e, claro, sem o velho clichê “quem matou Odete Roitman”, e é isso que Javier Marías faz: o romance de ações lentas e grandes digressões, é uma busca de entendimento sobre a vida, os aspectos positivos e negativos, os bons e os maus, que inicia com uma narradora insegura, mas que amadurece um pouco a cada capítulo, nas revelação que ela mesma se permite buscar.
Destaco também a importância do romance “O Coronel Charbet”, de Balzac, para funcionar como engrenagem da narrativa, pois é a ideia dessa novela – a possibilidade de um morto voltar à vida – que faz a história caminhar por trilhos diferentes. Outras obras literárias importantes, como Macbeth, de Shakespeare e a Bíblia, também dão sua contribuição por meio do personagem Díaz-Varela, amigo do “casal perfeito” e o homem por quem Maria é apaixonada.
Mas por que o nome “os enamoramentos”? Por que Luisa amava Desvern, que foi morto. E Maria amava Díaz-Varela, que amava…
É que os que, como eu, pensamos na morte e paramos para observar o efeito que ela produz nos vivos, não podemos evitar de nos indagar de vez em quando o que aconteceria depois da nossa, em que situação ficariam as pessoas para as quais significamos muito, até que ponto ela as afetaria. (p. 94)

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

CAROLA

Conto de Gustavo do Carmo




Vai começar mais uma missa dominical na paróquia de Santa Rita. Os fiéis já estão sentados em seus bancos, esperando o padre que entra em procissão, precedido, na sequência, pelos coroinhas com o incenso, o ostensório e os cálices; os ministros com as velas; um dos diáconos com a cruz e outro com a Bíblia e, finalmente, o padre Olímpio.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Selo de Pelé com assinatura

João Paulo Mesquita Simões


Deparei-me aqui há umas semanas, com um artigo num jornal português que por vezes aborda a Filatelia, a falar de um selo emitido pela Empresa de Correios e Telégrafos do Brasil, com imagem do famoso Pelé.

A mini-folha em si, tem o jogador de costas, como se pode ver nas imagens e, por cima, a assinatura do futebolista brasileiro.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

MICROCONTOS - CEGUEIRA



Microcontos de Gustavo do Carmo



Nariz entupido
Achou que finalmente desencalharia quando se apaixonou por uma cega. Foi enxotado na semana seguinte ao primeiro encontro, quando a moça melhorou do nariz entupido.


Justiça e Amor
A Justiça casou-se com o Amor. Tinham algo em comum: eram cegos. A relação não deu certo. Pelo cheiro, ele a encontrou na cama deles, se esfregando com o Dinheiro.