terça-feira, 3 de novembro de 2009

Qual’é tua tara? Beber sangue?!

de Miguel Angel
(Continuação da peça Um cadáver em casa de mamãe. Ver 1ª parte AQUI)


ÁGATA (Para den
tro do quarto)
Pode sair! (Pausa. Mário reaparece. Está aterrado. Quando se vê fora do quarto, corre e se joga numa poltro
na apertando o rosto entre as mãos. Ágata encosta a porta, mas ao tentar trancá-la, Sônia a interrompe)


SÔNIA
Peraí. Deixa eu vê esse negócio. (Ágata com ar de profundo cansaço se afasta.
Sônia entra lentamente. Pausa. Um grito sufocado e ela reaparece, enojada. Ágata não ousa olhar para ela. Sônia vai-se refazendo; olha para um e outro) Que foi que vocês fizeram? Velha! Que sujeira é aquela?

ÁGATA
Você me conhece. Minha filha. Cê sabe que seria incapaz de uma coisa dessas. Acontece que... que também tó sendo vítima. Vítima do... das circunstâncias!

SÔNIA
Que cê tá falando, porra! Perguntei se você tem a ver com aquela sujeira toda! Vai, responde. (Ágata vai abrir a boca mas surpreende-se quando Mário fala, quase murmúrio)

MÁRIO
Fui eu.

SÔNIA
E quem é você, velho? Qual’é tua tara? Beber sangue?! Te avisei, velha! Um dia esses caras vão aprontar. Mas você, nem aí. Olhaí que virou o quarto que já foi meu: um necrotério!

ÁGATA
Como podia saber? Aquela moça. "Seu" Mário, ele nunca... Foi tão de repente como um... acidente! Isso! Não é "seu" Mário? Foi ele, sim. Saiu do quarto apavorado. Vou lá, vejo aquilo e... Sônia, te juro! Foi como se...

SÔNIA
Não quero saber! Aquele quarto foi meu começo do inferno, agora vai ser teu fim. (Pega a bolsa. Vai até o bar e se serve; bebe; tosse, diante dos olhares tensos dos dois. Está pronta para sair. Ágata se interpõe)

ÁGATA
Onde cê vai?

SÔNIA
Sumir daqui.

ÁGATA
Sônia, agora que cê já sabe?

SÔNIA
E daí? Cê tava me botando pra fora agora mesmo!

ÁGATA
Não queria que você se envolvesse. Mas agora.

SÔNIA
Ah, agora! Agora me querem cúmplice? Isto aqui fede! Sai da minha frente! (Esboça a saída)

MÁRIO
Dona Ágata! Pelo amor de Deus, segura ela! Tá querendo nos entregar!

SÔNIA
Pelo amor de quem? Olha só o cara de pau! Ele se mandou desta merda quando sacou a cagada que fez deixando que animais como você tenham nascido! Entregar? Por que não, velho degenerado?

ÁGATA
Não. Não vai fazer nada disso.. (Tom) Vem cá, filha. Senta aqui, vamos conversar. Você sabe. Estaria perdida, me acusariam também. (Ela senta, assinalando o espaço vazio a seu lado; aguarda "mártir". Subitamente soa a campainha. Tensão. Pausa. Campainha novamente. Sônia hesita por instantes; rapidamente vai até a porta. Abre-a. Pausa. Dando um passo, entra Pedro. Vai falar, mas se apercebe do clima inquietante.)

SÔNIA (Aliviada)
Pedro! Esperei tempão. (Mário se encolhe mais ainda. Ágata se afasta para um canto)

PEDRO (Desconfiado)
Que tá havendo?

SÔNIA
Vamos s'imbora daqui. Vamos nessa que o pedaço aqui tá é fedendo.

PEDRO
E a minha jogada?

SÔNIA
Vai ter que procurar outro mocó pra se esconder.

PEDRO
Peraí. Qual é, Sônia? Tinha tudo planejado. Os amigos tão sabendo. Mas...
(Observa o lugar inquieto) Tá parecendo todo mundo pancada. Não tó gostando do troço. (Vendo Mário, que continua amedrontado, interroga Sônia com sinais)

SÔNIA
Esse aí? É degenerado. Amigo de "mamãe".

PEDRO
Que foi? Que ta havendo? Diz aí, gata.

ÁGATA (Ligeira, se intrometendo, sorriso amarelo)
Nada! Quer dizer, a gente discutiu um pouco, sim. Ficamos nervosos, mas já passou. (Para Sônia implorando cumplicidade) Não é, minha filha?

SÔNIA
Não, não é. (Para Pedro) Quero te mostrar uma coisa. Vem cá.

ÁGATA
Sônia, deixa o Pedro fora disso. (Para Pedro) É problema de família, entende, moço? Acho até melhor se mandar... antes que fique pior.

PEDRO
Pior? Não tó gostando desse papo. Vem cá Sônia, tu sabe que não quero sujeira pro meu lado.

sônia
Por enquanto tá limpo. Tó te dizendo. Vai lá, naquele quarto.

PEDRO (Cautela)
Que que tem lá?

ÁGATA (Rápida)
Nada, Pedro meu filho... Sônia, pra quê isso?

-----------

Para seguir, ver 3ª parte AQUI

2 comentários:

Anônimo disse...

Seja texto para teatro, seja novela, seja romance, seja conto, VOCÊ SEMPRE DÁ CONTA de aguçar nossa curiosidade e de prender nossa atenção. Êta carinha bão!!!
Abraços.
Comissária sumida (hehehehe)

Anônimo disse...

Xiiiiiiiiiiiiiii, lá vem!
Que está aprontando aí, "seu" Miguel? heheheheheh.
Beijinhos,
A Condessa Descalça.

Arquivo do blog