segunda-feira, 24 de agosto de 2015

TARDE DEMAIS 28 – RECONCILIADOS



Conto de Gustavo do Carmo

Ficaram sem se falar durante dez anos. Não por desencontros do destino, mas por briga mesmo. Por um motivo que Ulisses preferiu esquecer quando se reconciliaram. Cleonice indicou o seu nome à produtora de cinema onde trabalhava. Esta, então, decidiu produzir um curta baseado em um conto dele.

O curta fez sucesso, virou longa-metragem e Ulisses finalmente ganhou dinheiro para sair do subúrbio onde morava desde que nasceu. Foi morar com a mãe na Barra da Tijuca. Durante as gravações do curta Ulisses e Cleonice fizeram as pazes. E se apaixonaram.

Cleonice tinha acabado de sair de um casamento conturbado com Jessé, o ex-colega de ambos da pós-graduação de cinema que cursaram. Ulisses abandonou o curso faltando apenas duas disciplinas. Além da má vontade dela de fazer os trabalhos de grupo com ele, Ulisses também descobriu que Cleonice estava largando o marido doente para ficar com Jessé. Eis o motivo do rompimento.

Jessé tocou a sua vida pra frente e nunca mais procurou a ex-mulher. E nem ameaçou o ex-amigo. Ulisses e Cleonice se casaram no civil porque ela já tinha casado no religioso e ele também era ateu.

Cleonice foi morar com o Ulisses no apartamento da Barra da Tijuca que ele comprou com os direitos autorais do filme. A mãe dele continuou morando com eles. A filha de Cleonice, já adolescente, foi estudar no exterior e, se voltasse para o Brasil, iria morar com o namorado.


Depois de tantas relações sexuais, Ulisses decidiu tentar engravidar a esposa. Mas já era tarde demais. Cleonice já estava com 52 anos e na menopausa. A regra da maturidade, no entanto, começou de forma precoce, quando ela ainda tinha 42 anos. Foi este o motivo do seu fim de casamento com Jessé. Ulisses ficou com ela até a sua morte. A dele, de infarto, aos 50 anos. 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog