terça-feira, 24 de março de 2020

Uma história de--: Nove


Ao chegar na rua de Lívia, Marcelo já estava na metade do segundo cigarro seguido.
Ele entrou e viu que ela tinha dormido no sofá, toda torta.
Na cozinha, ele deixou o saco de pães sobre a pia e resolveu fazer outro café. Pegou um novo coador, pôs duas colheres de pó, encheu a jarra de água, colocou-a na cafeteira e ligou. Pegou seu celular e colocou alguma música. Aleatório. Sabia que quando viesse uma música que ele não quisesse escutar naquela hora iria mudar, mas gostava da sensação de não saber qual seria a próxima música.
Pegou uma das toalhas menos suja e a estendeu.
Dois copos, umas facas, duas colherinhas, a tabuinha de descanso, o saco de pães, a margarina, o açúcar, o pedaço de queijo que estava guardado numa tupperware sem tampa.
Sentou-se para esperar o café ficar pronto.
Sentia que a dor de cabeça estava voltando, então tentou não pensar nisso para não piorar.
Uma das músicas que ele tinha no celular, mas que nunca escutava começou a tocar. Porém seus braços estavam pesados, sonolentos. Ele deixou que ela continuasse.
Ficou ali sentado, olhando para o nada, com os olhos querendo fechar. Quis fumar mais um cigarro. Lembrou-se de que estava querendo parar. E além disso, Lívia não gostava que ele fumasse em casa.
Idiota.
Murmurou baixinho para si mesmo, dando um risinho de deboche, ao pensar no atendente da padaria.
Espreguiçou-se.
Estava sonolento. A xícara de café que tomara não fizera o efeito que ele esperava.
Abriu o saco e tirou um pão. Cortou-o na metade. Pegou uma delas e passou margarina. Fez uma canoa e deu uma mordida. Até que não estava ruim.
A cafeteira começou a roncar.
Estalou.
Todo o café estava passado.
Levantou-se e trouxe a jarra para a mesa.
Colocou metade em cada copo, açúcar e mexeu com a colherinha.
Pegou os dois e foi em direção à sala.


Nono capítulo do conto de Lucas Beça


Primeiro capítulo
Próximo capítulo

Nenhum comentário:

Arquivo do blog