segunda-feira, 9 de setembro de 2019

MICROCONTOS - DOCE


Microcontos de Gustavo do Carmo 


Doce
Era um doce. Tornou-se estúpido e agressivo para não atrair mais formigas e abelhas. 


Beijo 1
Ainda sente o doce sabor do seu primeiro beijo. Para ela foi uma experiência amarga e terrível.


Beijo 2
Roubou um beijo. Foi preso por ter furtado um doce de coco da padaria.


Acabou-se
— Acabou-se o que era doce. Disse o pipoqueiro, ao anunciar que só tinha pipoca salgada. 


Presente
Ela fez doce porque o marido não quis lhe dar um presente que estava com preço salgado. 


Janela
Jogou seus sonhos pela janela. Os doces estavam mofados. 


Copo na cara
— Agora fiquei doce! Disse o cafajeste após levar na cara um copo de suco de uma mulher que ele tinha cantado.


Caramelo 
Agora ele ficou doce. Que nem caramelo. Foi devorado por abelhas antes de alcançar o seu Camaro amarelo.


Ilusão
Teve uma doce ilusão. A realidade foi bem amarga para ele.


No mar
Para ele não foi nada doce morrer no mar. Morreu afogado, engolindo um litro de água salgada.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog