segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

PATERNIDADE


Conto de Gustavo do Carmo

Havia uma pressão muito grande da família para que Heitor se casasse e fizesse um filho na esposa. Ele mesmo se pressionava. Já estava com praticamente 40 anos.

Queria que os seus pais tivessem um neto vindo do seu filho mais problemático emocionalmente. Ficou com inveja da irmã que engravidou e teve um lindo menino louro.


Sofria em silêncio sabendo da gravidez de gente que viu crescer, de mulheres famosas e, pior, mulheres por quem foi apaixonado na juventude. Já estava sentindo-se idoso, mesmo sabendo que a fertilidade do homem é eterna. Nesse ponto ele tinha vantagem. Só não conseguia arrumar uma mulher. Era muito tímido.

Quando era jovem só desejava as mulheres mais velhas, que atualmente já são idosas ou à beira da menopausa. Começou a desejar as mais novas. Preferia as de 30, porque as de 20 o faziam sentir-se um pedófilo ou um “Tio da Sukita”.

Tinha medo de ser pai somente aos 60 anos. Pensava que, quando seu filho estivesse na faculdade, ele já estaria carecendo de cuidados especiais. Se tivesse com 80, poderia nem ver o seu neto se o filho se casar velho como ele.
Até que aos 42, Heitor conheceu na fisioterapia Milene, de 45 anos. Era uma linda mulher morena clara e cabelos lisos. Também estava ansiosa para ser mãe. Começaram a namorar em uma semana. Casaram-se em seis meses, apenas no civil, como a sua irmã.

Já começaram as tentativas para engravidar logo no primeiro mês de namoro. E nada saiu. Ou melhor, saíram três fetos em início de gestação. Milene ficou frustrada. Fez tratamento. Não adiantou. Tentou fazer inseminação artificial com os espermas de Heitor. Não deu certo. Ela pediu que colocasse outro esperma. Heitor não aceitou porque o filho não seria dele. Mesma justificativa ele deu para se recusar a adotar uma criança.

Heitor e Milene separaram-se. Ela engravidou de um empresário de 70 anos. Ele, de classe média baixa e desempregado, vivendo da previdência privada que o pai lhe deixou, conheceu Kelly, de 20 anos. Não chegou a casar com ela, mas moraram juntos. Tentaram engravidar, mas não conseguiram.

Nova separação. Heitor teve que aceitar que o problema de fertilidade era dele. Teve que engolir a felicidade da paternidade dos outros.   

Nenhum comentário:

Arquivo do blog