terça-feira, 3 de julho de 2018

Jorge e o visitante – Parte 1



Luna foi visitar seu pai, Jorge, no centro psiquiátrico. Era um homem solitário desde que ela saiu de casa. Depois que fora internado ela ia lá de vez em quando.


“Oi, filha, como você está?”

Seu pai estava sorrindo com seu jeito estranho. Na verdade ela não se lembrava de como era o seu sorriso antes de ele entrar no hospital.

Ela fitou seu pai. Olhou para o relógio na parede. Eram três e sete. Meu Deus, o horário de visita vai até as três e meia. O que vou falar com meu pai maluco até lá?

“O que você acha?”

“Não sei, acho que parece bem. Como estão as coisas? Da última vez que veio me disse que estava começando um novo emprego.”

A-Hã. É legal.”

“Bom...”, e ficaram em silêncio por muito tempo.


Duas semanas atrás ela foi chamada pelo médico responsável pela ala. O assunto era a melhora dele. Tomava todos os remédios, as alucinações haviam parado, participava das reuniões, seções de terapia em grupo e particulares, se dava bem com os outros pacientes...

O doutor achava que Jorge estava pronto para sair da clínica. Um teste, uma chance para ver se conseguiria se readaptar à vida social. E já que Luna era a única familiar próxima...

. Fazer o quê, ?”, disse ela secamente.


Primeira parte do conto de Lucas Beça

Nenhum comentário:

Arquivo do blog