segunda-feira, 11 de maio de 2015

MICROCONTOS - ERROS



Microcontos de Gustavo do Carmo


Ser humano
Errava demais. Ultrapassava os limites de um ser humano.


Borracha
Passou uma borracha no assunto. Estava grafado errado. Tinha escrito açunto.


Poema
Dedicou-lhe um belo poema. Sua amada não achou nada bonito. Apontou todos os erros de português, anunciou seu casamento e mostrou sua barriga de sete meses de gravidez com um empresário paulista.


Barriga
Sua enorme barriga não era de chope, mas, sim, dos erros de informação que cometia como jornalista.


Autodidata
Se achava um autodidata. Mas era apenas um imbecil que fazia tudo errado.


Coca é Fanta
— Essa Coca é Fanta! Disse o cego para o garçom que lhe serviu o refrigerante errado.

Prosa
Mudaram o rumo da prosa. Erraram o caminho e ficaram perdidos. 


Troca-letras
Era muito mais que um Troca-letras. Vivia trocando as palavras em seus textos. Sempre usava a palavra errada.


Erro feio
Errou feio. Fez de tudo para embelezar a desculpa. 


Todo mundo erra
Todo mundo erra sempre. Mas ele errava sempre demais. Tinha falta de compreensão das coisas.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog