segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

O AMOR DA SUA VIDA



Conto de Gustavo do Carmo

A campainha toca insistentemente. Bruno, que estava no banho, corre para atender. Pergunta, pois a porta não tem olho mágico.

— Quem é?
— É o amor da sua vida. Diz uma voz sensual.
— Mentira! O amor da minha vida não fala.
— Abre a porta Bruno! Sou eu: Maryeva, sua esposa!


Ele abre a porta e ela entra furiosa logo gritando:

— Que história é essa de que o amor da sua vida não fala, hein, seu cachorro? Você gosta mais de cerveja do que de mim? Eu estou em segundo plano? Você é um desgraçado. Um safado. Só vive na gandaia bebendo cerveja com os seus amigos. Eu não represento nada para você? Mesmo te indicando para escrever no jornal?

Maryeva já estava chorando e dizendo que ia embora para a casa da sua mãe quando Bruno, após várias tentativas sem sucesso para explicar, a pegou de jeito, a sacudiu e gritou:

— QUER ME DEIXAR EXPLICAR?
— Então explica: aposto que vai dizer que a sua amante é muda.
— O amor da minha vida que não fala é o meu filho surdo e mudo!
— Sabia que eu não sou o amor da sua vida. Sabia que eu estou em segundo plano. Que eu não represento nada para você...


A DR continuou até o raiar do dia, hora em que ele foi embora de casa e pediu para morar por uns tempos na casa da sua ex-mulher, mãe do seu único filho: o amor da sua vida que não fala.  

Nenhum comentário:

Arquivo do blog