terça-feira, 25 de junho de 2019



- Ah, fica quieto, eu disse para ele.

- Mas eu tô falando. Aquele cara não joga nada! Não consegue dar dois passes certos em seguida.

Suspirei.

Continuei a tomar meu café.

- E você? Consegue?

Ele também tomou mais um gole do seu café.

- Hã?

- Consegue?

- O quê?

- Dar... dois passes certos seguidos?

Ele me encarou por alguns segundos. Depois deu uma risadinha.

- Acho que não.

Ri também.

- Mas e aí, como andam as coisas?

Na tevê da padaria começava a subir as letrinhas do final do jornal, depois de passar os gols da noite passada.

Ele se distraiu com a tevê.

- Tudo bem, tudo certo, disse se virando para mim novamente.

- Que bom. E o filhote?

- Ah, tá grande pra caramba. Falando bastante.

- Que legal, disse com um sorriso no rosto.

...

- E você?

- Eu o quê?, perguntei idiotamente.

- Como é que estão as coisas?

- Tudo bem, também – menti.

- É isso que importa, né?

Concordei.


Conto de Lucas Beça
1

quinta-feira, 20 de junho de 2019

João Paulo Mesquita Simões

Ao percorrer o Facebook, deparei com esta notícia que me deixou deveras satisfeito.

Cliquem no link, e leiam.

http://noticiasdeviseu.com/selos-portugueses-premiados-em-italia/?fbclid=IwAR3Iqy3AfbojS86j874xkmaXwZMYx_Yc9UW72W0HRoHgnvEW15DAYpGDM6w
0

quarta-feira, 19 de junho de 2019


Só percebo que meu óculos escuro sumiu quando passo a mão pelos cabelos e não o encontro. Logo agora que o sol está só a metade na linha do horizonte e estou indo na direção dele, com sua luz avermelhada incidindo no meu rosto.
A estrada de terra em que meu carro vai levantando poeira é ladeada apenas por extensões de mato alto, seco e quebradiço. Felizmente só mais um quilômetro e estarei novamente na civilização. Ou era esse o meu plano.
0

terça-feira, 18 de junho de 2019



- 73
A Karen mudou-se para o meu apartamento essa semana.
Eu sei, é repentino, nos conhecemos há poucos meses, mas a gente gosta tanto um do outro que a gente pensou: “Ah, que se dane! Vamos morar juntos!”
Não precisamos da permissão de ninguém, somos adultos, então...
Ela trouxe a primeira leva de roupas e já é roupa pra caramba!
Tanto quanto você!
Não sei como ela vai fazer pra caber no armarinho que eu tenho. Vai ter que fazer milagre.


- 74
A maioria das coisas da Karen já está aqui e ela tomou conta do apartamento.
Apesar de que não precisava muito pra isso.
Tirando um pôster do Metallica, uma estátua do Batman, os DVDs e os livros do meu ex-chefe, não tem mais nada de considerável.
Agora, depois de anos, pelo menos meu apartamento vai ter cara de casa, ter alguma personalidade, mesmo que eu não concorde 100% com essa personalidade.


- 75
O que será que está passando pela sua cabecinha nesse exato momento?
Será que você fica repassando todos os momentos que já viveu, em ordem ou fora de ordem, de novo e de novo? Ou fica prestando atenção nos sons e nos cheiros à sua volta e fica tentando fazer algum sentido?
Bom, eu gosto de pensar assim às vezes e não no que provavelmente está acontecendo de fato.
Me deixa um pouco mais contente.


- 76
A Karen está empolgada para celebrar o meu aniversário, em algumas semanas.
Eu disse a ela que não achava que seria uma boa ideia. Ela insiste.
Ela ainda disse que você não gostaria que passasse em branco.
Foi a primeira vez que ela falou de você assim, tão diretamente.
Foi... Interessante, por falta de outra palavra.
Eu disse que iria pensar.


Parte 19 do conto de Lucas Beça
0

segunda-feira, 17 de junho de 2019



Por Gustavo do Carmo

Devo ser especialista em portas. Conheço as de madeira, de aço, alumínio, vidro...  De todas as formas: lisas, caneladas, frisadas, esculpidas e várias outras. Não sou marceneiro.

Sou jornalista e publicitário. Cursei duas pós-graduações: uma em cultura e outra em telejornalismo. Várias oficinas literárias nas costas. Só não tenho mestrado porque não tive mais paciência para estudar. Quero mostrar o que já sei. Cansei de aprender. E principalmente de ouvir sermões.
0

quinta-feira, 13 de junho de 2019

João Paulo Mesquita Simões


Há 131 anos, nascia Fernando Pessoa.

De toda a sua Literatura, Heterónimos, há, a destacar, algumas curiosidades deste desassossegado Poeta.
0

quarta-feira, 12 de junho de 2019


Se eu “puxar pela memória” o período mais bizarro da minha vida foi o ano de 1999. E sem que eu precise fazer muito esforço, a noite mais bizarra daquele ano foi durante as férias, em dezembro. Tudo o que aconteceu naquela noite parecia uma poção sendo preparada no caldeirão de uma bruxa, fervendo sobre as chamas do fogo do inferno.
0

terça-feira, 11 de junho de 2019






0

segunda-feira, 10 de junho de 2019


Microcontos de Gustavo do Carmo 




Líquido
Quando viu o ex-namorado com outra no restaurante jogou-lhe o líquido que estava em seu copo. A moça ainda não tinha ingerido a soda cáustica com a qual iria se suicidar.


Sintomas

Sentiu todos os sintomas da gravidez da sua namorada. E morreu de hemorragia quando ela fez um aborto.

0

quinta-feira, 6 de junho de 2019



João Paulo Mesquita Simões



Terça-feira 6 de junho de 1944. As tropas aliadas, desembarcam na Normandia, na Operação "Overlord"durante a II Guerra Mundial, tendo sido a maior invasão por mar da nossa História.

0

quarta-feira, 5 de junho de 2019


Ok, a minha hora chegou. O grande dia está aqui.
Esse saco translúcido de seda, que não parece mas é forte, é a bolsa amniótica, que me contém, junto com o fluido que tem me protegido de todas as desgraças do mundo lá fora, o qual estou prestes a conhecer. Não posso dizer infelizmente, pois se eu passar mais tempo aqui vou acabar prejudicando minha mamãe. E não posso fazer isso com ela porque foi a primeira pessoa que eu conheci e, inevitavelmente amei. Vamos ser sinceros, como eu não poderia amar essa mulher?

0

terça-feira, 4 de junho de 2019






0

segunda-feira, 3 de junho de 2019


Conto de Gustavo do Carmo

Apolo estava muito feliz depois que conheceu, pela internet, Afrodite, sua primeira namorada. Após passar boa parte da adolescência e fase adulta fugindo de academias, teve que se render, ao ser obrigado pela moça, uma blogueira fitness que lia os seus contos, a acompanhá-la em sua malhação.
0

Arquivo do blog