sábado, 8 de dezembro de 2018

Mortos ou vivos

Por dudu oliva


Vivian está no quintal para se escapar do calor. Sempre está à espera de algo. "Sinto que sou a única pessoa viva a atravessar esta madrugada. Ou estou morta ou esquecida nesta casa.".



Ouve um barulho repentino e se assusta.  Fica surpresa ao sentir qualquer coisa, depois de tantos anos. Constantemente ficava em dúvida se estava  vivia ou presa em um sonho.

Wanderson foge por muito tempo e nem tem mais a consciência dos motivos de sua fuga. 

"Assalto, tiros, Luiz é preso, Vânia atravessa a fronteira, meus pais dizem que estou morto para eles. Vivian...".

Se assusta, porque pensou em Vivian. Percebe estar na frente da casa dela.

Vivian é um pouco mais velha que ele e foi sua professora particular. Lembra-se do cheiro agradável que exalava dos cabelos longos da moça (professora particular). Ela o tratava muito bem, lhe oferecia lanches e lembranças de aniversário.  

 Vivian reconhece Wanderson pelo olhar. O medo que sentia passa.
- Rapaz, por que não apertou a campainha?
- Desculpa, se quiser, vou embora.
- Não. Está todo suado,  precisa de um banho. Pegarei umas roupas velhas do meu irmão. Sabe, ele foi para Portugal depois da morte de meus pais. Vem comigo.

Wanderson se esvazia  de seus pensamentos. Por um momento, parece que a ducha os leva para o ralo. Depois começa a pensar o que o levou a chegar nesta situação. Tem a impressão de que nunca segurou as rédeas de sua vida. Deixa-se levar pelos acasos.

Pensa em Vivian novamente e de como ficou com raiva por não ser correspondido. "Jurei nunca mais pisar nesta casa e voltar a vê-la. Ainda tem aquele cheiro nos cabelos.". Percebe-se excitado.

Vivian prepara um lanche para o ex-aluno. Sente-se estranha ao pensar em Wanderson. Como ele está forte... Sabia que ficaria assim.". Arrepia-se, não gosta de pensar certas coisas, "parece que sou outra". Todos que a conhecem a consideram como generosa e correta. Vivian incorpora impecavelmente este papel, mas, há momentos em que ela se acha incompleta. Não consegue experimentar intensamente os sentimentos, "parece que estou num palco representando uma  personagem única".

Nunca entendeu os motivos pelos quais Wanderson desapareceu. Adorava ensiná-lo. Pensava nele mais velho. Seria um cavalheiro e iria tratar bem uma mulher...

Agora, mesmo diferente do que imaginava, Vivian se encanta com
Wanderson e junto  vem a vergonha. “Estou esquisita. Não  controlo  meu  corpo  que não  para de  vibrar”. 

Wanderson vai à cozinha e se depara com a mesa posta. Lembranças já mortas ressuscitam. Vivian se  senta, também...

- Rapaz, você cresceu.  Por onde andou?
-  Vaguei por aí, que nem  uma alma penada.  E  você?
-  Continuei aqui,  fincada nesta casa. Meus pais se foram e meu irmão mora em Portugal com a família. Sou uma alma penada que tenta  sobreviver  a mais uma madrugada calorenta... Estou  curiosa,  por  que  veio?
-  De repente estava em frente a sua casa e percebi  que  precisava te ver. Acho que temos algumas questões a resolver.
- Bem,  você desapareceu do nada e não entendi o motivo.
- É que eu te amava.
-  Como?  Era só  um menino.
-  E daí? Eu a amava e pronto e você só queria brincar de professorinha boazinha.
- Eu não sabia de seus sentimentos, me desculpa.  Aliás, eu nunca pensei  que despertaria este sentimento em alguém. Como vê, estou sozinha. Está vingado?
- Não vim aqui por vingança. Queria vê-la mais uma vez. Por que nunca se casou?
- É que sou complicada. Não sei como explicar, procuro por alguma coisa e passei  muito tempo nesta busca. Muitos me acham exigente, mas realmente não sei. Nunca me apaixonei por ninguém  e fui  levando minha vida. 
- Engraçado, o tempo todo eu era insatisfeito  e ficava procurando procurando...
-  Também  havia meus pais e meu irmão.  Sempre me consideraram perfeita e nunca quis  macular  a imagem  que eles tinham de mim.  E seus pais?
-  Morri  para  eles.  Tomei muitas atitudes equivocadas sem pensar. Fui sendo levado e me enrolei  num emaranhado que não dá para  sair. Até achei já estar morto. Porém, quando a vi...
-  Pare com isso!!! É um bom homem, eu o conheço.  Também me sentia morta até reencontrá-lo.

Conversam animadamente, trocam confidências e nem percebem que o amanhecer surge com os cantos dos pássaros.

Então, os primeiros raios do sol iluminam seus beijos. Seus corpos se encaixam perfeitamente e eles aproveitam cada segundo, já que acabam por se descobrir momentaneamente vivos. 

Mesmo envolvidos no gozo, ouvem os barulhos da cidade recém-acordada e não  se  sentem mais almas solitárias. Estão conectados com a  vida, por enquanto.  
...

A empregada entra na casa vazia. Costuma fazer faxina a pedido do patrão que mora em  Portugal.  Ao entrar acha o lugar desarrumado, principalmente o quarto de Vivian. Parece que alguém invadiu a casa. Ao ligar a tevê escuta que um bandido morreu ali perto.  



Nenhum comentário:

Arquivo do blog