terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Eu tenho que dormir


Eu tenho que dormir. Eu tenho que dormir. E esse é o problema. Eu tenho que dormir porque tenho que acordar cedo, porque eu tenho que pegar um ônibus e chegar lá naquele lugar que eu me comprometi a ir, e se eu acordar meia hora mais tarde, eu perco o ônibus. Se eu perder o ônibus...

E isso sempre acontece. Sempre, sem exceção. É incrível. Eu tento dormir mais cedo, não adianta. E não adianta você falar pra eu não me preocupar, pra eu relaxar, pra eu contar carneirinhos, pra eu contar um pra quando eu inspiro e dois pra quando eu respiro, e voltar ao um de novo, e assim por diante, porque não vai adiantar. Estou te dizendo. Acredite em mim. Eu não tenho motivos para mentir pra você, seja lá quem você for.

Você provavelmente vai dizer que isso é bobagem, mas não é. Não pra mim. Não, eu não sofro de insônia, eu sou só um idiota com um relógio biológico interno desregulado, quebrado, estragado, parado, inexistente.

Ou, o que é ainda mais provável, você vai dizer que “olha só, isso acontece comigo também.” Não, isso não acontece com você. Esse, aliás, é o pior pensamento, a pior forma de se solidarizar com o meu caso. Na verdade eu não dou a mínima pro seu sono. Se você tem insônia, parabéns. Você toma uns remédios e apaga, ou você não quer tomar remédios, acha que eles te deixam estranho, ou sei lá o quê, aí então você merece ter insônia e ser um zumbi mesmo.

É, eu sou um zumbi. Eu sou o cara que não quer tomar remédios, mas não porque fico achando que “ai, comprimidos me deixam meio zonzos, eu não me sinto eu mesmo”, mas por que o meu terror é não conseguir acordar na hora no dia seguinte. E se eu não conseguir acordar na hora não porque eu fui dormir tarde, mas porque eu apaguei, aí eu vou passar o dia zonzo, me sentindo culpado, e—

Mas que merda. Todo dia é a mesma coisa. Todo dia a porra do meu cérebro acha que a melhor hora do dia pra ter ideias, uma atrás da outra, é às duas e meia da manhã. Não, duas e meia já passou faz tempo. Já passa das três da madrugada. E sabe o que vai acontecer? Eu vou acabar conseguindo dormir lá pras quatro, quatro e meia. Mais uma vez.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog