quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Tributo - Entre quinze e trinta linhas

João Paulo Mesquita Simões







Foi com grande pesar que todos nós recebemos a notícia inesperada do falecimento de Miguel Angel Fernandez.

Foi através dele, que comecei a escrever neste blogue. Além disso, e porque a virtualidade é o oposto da realidade, o Miguel não era só mais um amigo virtual. O Miguel, entrou em minha casa pela Internet, via então MSN, onde, juntamente com sua esposa, cantaram, tocaram para minha filha, na altura com 4 anos.

Depois, veio a "Cena Muda", "As Moscas", romances que acompanhei, que o Miguel me ia enviando por e-mail e que até me chegou a enviar ["A Cena Muda"] com uma bela dedicatória.

Foi um choque para mim, receber aquela notícia. Ainda poucas semanas antes, tínhamos trocado e-mails.

Guardo num dossier, todos os poemas, prosas, e pensamentos de Miguel Angel Fernandez. Será essa a minha mais pura recordação daquele escritor, poeta, dramaturgo, "homem dos sete ofícios", como eu lhe chamava! E que ele sabia que eu o tinha, para quando se proporcionasse a vinda dele a Portugal, "ver esse dossier que você tem", como ele muita vez me dizia, passarmos um bom bocado de umas férias que nunca chegaram a acontecer

Perdeu-se um homem da Cultura Argentina e Brasileira. Perdeu-se um homem bom.

Todos nós ficámos mais pobres e o "Tudo Cultural" também, embora ele já aqui não publicasse.

Foi a primeira vez que este blogue perdeu alguém para todo o sempre.

Descansa em paz, Miguel! 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog