quinta-feira, 16 de novembro de 2017

300 anos da Biblioteca Joanina


João Paulo Mesquita Simões










A Biblioteca Joanina foi construída entre os anos 1717 e 1728 e é um dos expoentes máximos do barroco português. O seu nome surge em honra e memória do Rei D. João V (1707-1750), que patrocinou a sua construção e cujo retrato, da autoria de Domenico Duprà (1725), ocupa um local de destaque no espaço.

Situa-se numa das universidades mais antigas da Europa, senão a mais antiga: a Universidade de Coimbra.

Para comemorar os seus 300 anos de existência, os CTT Correios de Portugal, emitiram dois selos, lançados em 25 de outubro, com os valores faciais de 0,50€ e uma tiragem de 125 000 exemplares e outro com o valor facial de 1,00€ e uma tiragem de 115 000 exemplares. Os selos têm o formato de 80 X 30,6 mm e o design esteve a cargo de B2 Design.

Um dos selos desta emissão mostra-nos diversos pormenores desta biblioteca da Universidade de Coimbra, entre eles: a vista geral da sala 2 da biblioteca (lado norte) através de uma fotografia de Paulo Mendes; uma Bíblia Hebraica, dita “Bíblia de Abravanel”, da segunda metade do século XV; a folha 6 (salmos iniciais), parte do acervo da Biblioteca Joanina; a bíblia “atlântica” do século XIII, num pormenor da folha 2 do Livro da Sabedoria; e uma carta de fidalguia manuscrita e iluminada do licenciado Prado de Vivar Vecino de Griñon, de 13 de agosto de 1569.
O outro selo apresenta a estante, da autoria de Gaspar Ferreira e Manuel da Silva; também a Bíblia Hebraica, dita «Bíblia de Abravanel», mas desta feita a folha 384v (decorações micrográficas finais); um pormenor da coroa sobre o «emblema» da Teologia, na Sala 3 da Biblioteca, da autoria de Gaspar Ferreira (talha) e Manuel da Silva (douradura); e a Bíblia «atlântica» (atrib. Estrasburgo, séc. XII), Tábuas dos Cânones Evangélicos.
Segundo os CTT, esta emissão filatélica celebra “o património cultural e arquitetónico de Portugal e levam-no além-fronteiras, através daquela que já por várias vezes tem sido apontada por organismos nacionais e internacionais como a «biblioteca mais bela do mundo»”.



Nenhum comentário:

Arquivo do blog