quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Simetria passo a passo - Calçada Portuguesa

João Paulo Mesquita Simões







No dia 28 de Julho, os CTT Correios de Portugal lançam uma emissão filatélica dedicada à Calçada Portuguesa com quatro selos que a representam, nomeadamente no Jardim da Estrela em Lisboa, na Praça Velasquez no Porto, no Funchal na ilha da Madeira, e no Jardim Duque da Terceira nos Açores, além de um bloco com quatro selos da calçada portuguesa em Macau, Espanha, Brasil e Estados Unidos da América.
Foi no século XIX, onde as grandes correntes humanitárias se desenvolveram na Europa e fomentaram as grandes viagens e o Revivalismo, que Lisboa se revestiu da Arte Nova. Eusébio Cândido Pinheiro Furtado, Tenente de Armas da Cadeia do Castelo de São Jorge, promoveu um novo conceito de empedrar o chão ao estilo de mosaico, com pedras brancas e pretas, que passou a denominar-se calçada-mosaico.
Como primeira experiência utilizou o próprio átrio do presídio, depois, a uma nova escala, pavimentou a emblemática Praça Dom Pedro IV (Rossio). O trabalho desta Praça resultou num empedrado de 8712 metros quadrados, coberto de ondas a preto e branco. Com o crescimento da cidade, novas ruas foram pavimentadas com este conceito, passando a designar-se definitivamente por Calçada Portuguesa.
O Passeio Público encheu-se de elementos gráficos ligados à história da cidade, como caravelas e delfins. Nos anos 40 do século XX, a Calçada Portuguesa tem o seu expoente máximo na elaboração de grandes pavimentos como os da Exposição do Mundo Português e do Estádio Nacional e, mais tarde, já nos anos 60, a arte sai definitivamente à rua para ser admirada por todos. Nos finais do século XX, a Expo‘98 convidou alguns novos artistas-plásticos a desenhar para a calçada desenhos mais arrojados.
Para além de muitas cidades portuguesas, em alguns locais do mundo, onde a presença portuguesa teve influência, foi também aplicado este conceito, como é possível ver no bloco filatélico desta emissão nos quatro selos que constam no mesmo.
Esta emissão é composta por quatro selos e um bloco: um selo da calçada portuguesa em Lisboa, com o valor facial de 0,47€ e uma tiragem de 135 000 exemplares; um selo da calçada portuguesa no Porto, com o valor facial de 0,58€ e uma tiragem de 110 000 exemplares; um selo da calçada portuguesa na Madeira com o valor facial de 0,75€ e uma tiragem de 135 000 exemplares; um selo da calçada portuguesa nos Açores com o valor facial de 0,80€ e uma tiragem de 115 000 exemplares; e o bloco com o valor de 1,88€ e uma tiragem de 45 000 exemplares.
As ilustrações estiveram a cargo do atelier B2 Design e os selos têm um formato de 40 X 30,6 mm enquanto o bloco tem um formato de 125 X 95 mm.
As obliterações de primeiro dia serão feitas nas Lojas dos Restauradores em Lisboa, Munícipio no Porto, Zarco no Funchal, e Antero de Quental  em Ponta Delgada.

In: https://www.ctt.pt/ctt-e-investidores/comunicacao-e-patrocinios/media/noticias/ctt-homenageiam-a-calcada-portuguesa-com-emissao-filatelica 


Bloco com quatro selos da calçada portuguesa em Macau, EUA, Brasil e Espanha



FDC com a série

 


 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog