quinta-feira, 23 de junho de 2016

O Cante Alentejano





João Paulo Mesquita Simões















O Cante Alentejano é considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO desde 2014. Os
selos desta emissão refletem um pormenor do traje masculino do Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa e um pormenor do traje feminino do Grupo Coral Feminino de Cantes de Alcáçovas. 
O Cante Alentejano é uma manifestação musical cujo único instrumento é a voz humana e é interpretado sem distinção de género ou de demografia. Os seus intérpretes executam-no de forma organizada ou informalmente. Os ranchos ou corais, a sua forma mais organizada, podem ser masculinos, femininos ou mistos, apenas de adultos, de crianças ou envolvendo uma demografia diversa.
O Cante está associado ao Sul de Portugal, principalmente o Baixo Alentejo, mas hoje, a sua geografia ultrapassa estra região pois podemos também encontrá-lo no Algarve, Alentejo Litoral, Central, e Alto Alentejo, assim como nas periferias das cidades de Setúbal e Lisboa.  
Os investigadores divergem em relação à origem do Cante: pode afirma-se, contudo, que o género evoluiu ao longo do século XX. Esteticamente, os grupos podem ser agrupados em etnográficos, os associados à industrialização ou ao movimento orfeónico. Os grupos mais jovens têm trajes mais simples.
Com esta emissão, os CTT evocam a identidade alentejana e com ela o cante alentejano que tem vindo a reinventar-se ao longo dos tempos, sendo por isso mesmo considerado Património Imaterial da Humanidade.  
Esta emissão é composta por dois selos, um com o valor facial de 0,47€ e uma tiragem de 135 000 exemplares cada e outro com o valor facial de 0,80€ e uma tiragem de 115 exemplares cada; e um bloco com dois selos, com o valor de 2,00€ e uma tiragem de 40 000 exemplares. 

In: https://www.ctt.pt/ctt-e-investidores/comunicacao-e-patrocinios/media/noticias/ctt-homenageiam-cante-alentejano-com-emissao-filatelica

Nenhum comentário:

Arquivo do blog