quinta-feira, 28 de abril de 2016

Castelos de Portugal - Parte 7 - Castelos de S. Jorge e Marvão

João Paulo Mesquita Simões


Desenho de José Luís Tinoco apresentando o Castelo de São Jorge e o Castelo de Marvão. Impressão a offset pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda sobre papel esmalte, em folhas de 50 selos com denteado 12 x 12-1/2. Foram emitidos 1 milhão de selos da taxa de 25$00 castanho azul e verde (Castelo de S. Jorge) e 1 milhão de selos da taxa de 25$00 castanho cinzento azul e verde (Castelo de Marvão). Sobre estes selos foi impressa uma tarja fosforescente. Foram emitidas carteiras filatélicas com quatro exemplares de cada um dos selos, ao centro dos quais foi Impresso o brasão da respectiva Cidade. Postos em circulação no dia 15 de Setembro de 1987.



CASTELO DE S. JORGE - Construído em meados do século XI, a fortificação preserva, ainda, onze torres e apresenta alguns elementos arquitectónicos característicos das fortificações militares de época islâmica. Os lanços de escadas adossados às muralhas dão acesso às ameias e às torres, sendo visitável em todo o seu perímetro.

VESTÍGIOS DO PAÇO REAL DE ALCÁÇOVA

Todo o conjunto edificado onde se encontram hoje instalados o Museu, o Café do Castelo, o restaurante Casa do Leão constitui a memória mais significativa da antiga residência real medieval.

NÚCLEO ARQUEOLÓGICO

Conjunto de vestígios arqueológicos que testemunham três períodos significativos da história de Lisboa: as primeiras estruturas habitacionais do século VII a.C; as casas e ruas de meados do século XI, de época islâmica; e os vestígios da última habitação palatina – o Palácio dos Condes de Santiago – destruído pelo Terramoto de 1755.

MUSEU
Colecção visitável constituída por um acervo de objectos encontrados na área arqueológica (Núcleo Arqueológico), proporcionando a descoberta das múltiplas culturas e vivências que desde o século VII a.C ao século XVIII foram contribuindo para a construção da Lisboa da actualidade, com particular destaque para o período islâmico do século XI-XII.

PERISCÓPIO – TORRE DE ULISSES
O periscópio, sistema óptico de lentes e espelhos inventado por Leonardo Da Vinci no século XVI, permite examinar minuciosamente a cidade em tempo real, os seus monumentos e zonas mais emblemáticas, o rio e a azáfama própria de Lisboa, num olhar que percorre 360º.

MIRADOURO
Em virtude da sua excepcional localização, o Castelo de S. Jorge destaca-se do conjunto dos miradouros de Lisboa pelas vistas únicas e majestosas que permite usufruir.


In: http://www.visitlisboa.com/CastelodeSaoJorge_pt.aspx



CASTELO DE MARVÃO - O castelo de Marvão situa-se no mais alto pico da Serra de São Mamede, em pleno Parque Natural, a ocupação deste território pode remontar à pré-história, mas não há certezas quanto a isso, como também não há, sobre a sua ocupação pelos romanos, todavia a proximidade de uma via romana, que atravessava o rio Sever, aponta para essa possibilidade. O que parece certo é que D. Afonso Henriques, terá conquistado esta fortificação aos mouros, por volta de 1166, na sequência da campanha que se iniciou com a conquista de Alcácer do Sal. A data mais antiga que atesta a pertença portuguesa deste castelo, é 1214. Em 1271, o castelo foi doado à Ordem de Malta, pelo rei D. Afonso III, já no reinado de D. Dinis, foi ampliado e construída a Torre de Menagem, também D. João I, depois da crise de 1385, manda reforçar as defesas do castelo e implementa o povoamento da região. Novas obras foram iniciadas depois da restauração da independência em 1640, para adaptação da fortaleza ao uso de artilharia e antes das obras terminarem foi atacada pelas forças espanholas, que voltaram a atacar este castelo em 1704 e 1772. Já no século XIX, durante as invasões francesas, chegou a ser ocupado por estas forças. Classificado como Monumento Nacional, tem vindo a ser mantido em bom estado de conservação com o apoio da Liga dos Amigos do Castelo e da Câmara Marvão. O castelo é afinal uma cidade fortaleza, já que a povoação está envolvida pela primeira linha de defesa ao longo do monte, conta depois com uma segunda linha com muralhas e torres e finalmente o castelo medieval, com duas torres e a Torre de Menagem. Nas dependências do castelo está instalado um museu arqueológico de armaria.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog