segunda-feira, 25 de abril de 2016

APLICATIVOS DE PAQUERA



Crônica de Gustavo do Carmo

Tenho três aplicativos de paquera instalados no meu tablet e celular: Tinder, Kick-Off e Happn. O Tinder indica mulheres (conforme eu selecionei) num raio de até 161 km de onde o usuário estiver, de acordo com o GPS do seu aparelho.  O Kick-Off é baseado nos seus contatos do Facebook e recomenda amigas dos amigos dos seus amigos ou curtidores das páginas da rede social do Zuckerberg.  Já o Happn tem conceito semelhante ao do Tinder, só que mais perto. Ele indica mulheres que passaram despercebidas por você.

Os três têm, em comum, não permitir que você escolha uma mulher com a aparência física da sua preferência. É politicamente incorreto. Mas também é difícil de selecionar. Assim, com muita frequência são apresentadas várias mulheres feias (no meu conceito, que eu não vou dizer para não criar mais polêmica).

O Happn é o que mais tem indicado mulheres bonitas. Mas cobra para oferecer créditos de “Enviar um charme”. Os 10 que eu recebi assim que eu me cadastrei já gastei. Não vou pagar pra levar vácuo de mulher bonita.  E não sei como ganho créditos gratuitamente sem ter de ficar convencendo os outros a instalar.  





O Kick-Off está com uma mania chata. Antes ele indicava dez mulheres por dia. Tudo bem. Aceitava umas e rejeitava outras. Nos últimos dias, porém, tem interrompido e até bloqueado a indicação para que eu mude as minhas preferências. O problema é que só dão opções de idades e localização. As características físicas, como já disse, não podem. Quanto à idade eu posso falar: prefiro mulheres entre os 25 e 40 anos, mas sem filhos pequenos, por favor. Não quero criar rebentos de terceiros.   

Quanto ao Tinder é um show de “tribufus” sem fim. Literalmente. Ou não. Mas o limite é enorme. Raramente aparece alguma mulher bonita. Estou quase deletando este aplicativo.

Consegui algumas combinações nessas três redes. No Happn ganhei dois “charmes”. A maioria não me agradou. Está fora do meu padrão de beleza. São feias, para ser mais claro. Uma vez no Tinder, uma “crush” conversou comigo. Com medo de golpistas da internet, quis saber algo sobre ela primeiro antes de dar o meu telefone que ela já pedia. Ela se recusou a dar informações. Só me deu um fora.

Também já obtive combinações favoráveis (mulher bonita) no Kick-Off e no Happn. Mas não mandei nenhuma mensagem porque eu estou decidido a não procurar mais ninguém. Se interessou-se por mim, que me procure.

Aliás, reconheço que não sou nada atraente fisicamente. E imagino que, do outro lado, a mulher visualiza o meu perfil e, mesmo vendo as minhas fotos na Europa, desliza a foto para a esquerda no Tinder, toca no “Não” no KickOff e no “X” no Happn. Só continuo usando esses aplicativos porque ainda tenho esperanças nas mulheres que têm gosto para tudo. Afinal, tem cada mulher bonita com homem feio...


Nenhum comentário:

Arquivo do blog