segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

O Romantismo no prefácio de Suspiros Poéticos e Saudades

Por Narcélio Lima

O Romantismo no Brasil inicia-se principalmente com a obra Suspiros Poéticos e Saudades, de Domingos José Gonçalves de Magalhães, que traz no início um prefácio intitulado “Lede”, nele o autor trata do fim, do gênero e da forma, além de manifestar o intuito de sua obra junto ao leitor, enaltecendo sua particularidade ao se afastar das tradições clássicas que, segundo ele, ao falar de forma e gênero, o aprisionariam.
O autor sente-se livre e ousa na sua liberdade e usa de uma total individualidade criadora, a fim de exprimir suas ideias sem seguir nenhuma ordem já definida. Mais especificamente em gênero, o mesmo trata do seu objetivo de não imitar ou copiar modelos já ultrapassados; assim, seus versos surgem livremente, sem que haja apego às questões da métrica ou da rima.
No prefácio, o autor trata das instabilidades da história da humanidade, marcada pela injustiça e pela miséria, como se as páginas de sua obra trouxessem um eco de tudo isso, ou um resultado de tudo isso.
Na questão religiosa, o autor faz uma menção tema, enaltecendo o Cristianismo tanto no Lede quanto nos versos da obra que, segundo ele deveria “santificar as virtudes e amaldiçoar os vícios”. Como se a religião servisse de ponte para as virtudes
No que diz respeito ao patriotismo, o lede apresenta uma explicação superficial ao patriotismo, já que faz uso superficial da questão do índio e da natureza, estes que estarão um pouco mais evidentes nos versos.

Referência

MAGALHÃES, Gonçalves de. Suspiros Poéticos e Saudades. Disponível em: <http://www.cervantesvirtual.com/servlet/SirveObras/08144952189758473087857/p0000001.htm#I_1_ > Acesso em: 19 de março de 2015. 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog