quinta-feira, 16 de julho de 2015

CTT lançam emissão filatélica sobre Barcos do Mediterrâneo

João Paulo Mesquita Simões 





No passado dia 9 de julho, os CTT lançaram uma emissão filatélica dedicada aos Barcos do Mediterrâneo, onde estão representadas cinco embarcações que refletem as tradições mediterrânicas, não só pelos métodos de construção como pelas suas origens.
Desde a Antiguidade que Portugal, situado no extremo sudoeste da Europa, é visitado por diversas embarcações das culturas atlântica e mediterrânica. As influências da Arte da Construção Naval levaram os carpinteiros portugueses a usar dois métodos construtivos: o nórdico de tabuado trincado e o mediterrânico de tabuado liso.
Em Portugal persistiu a construção nórdica em todos os rios do noroeste, enquanto no Sul e na totalidade da costa portuguesa foi a tradição mediterrânica que se impôs. Na costa algarvia, nomeadamente na faixa litoral mais próxima da Andaluzia, verificou-se a introdução de tipologias mediterrânicas da família das barcas e não só. Exemplo disso é o calão, representado nesta emissão filatélica. O calão tem um esporão em forma de corno erguido e tanto se movia a remos como à vela e remos. Era frequentemente utilizado como auxiliar das armações do atum e como enviada do pescado de embarcações de maior porte da pesca do alto.
A canoa do alto, a canoa da picada e o caíque, apresentados em selos, foram embarcações veleiras de alto mar. As óptimas características dos seus cascos deram origem a embarcações de recreio usadas em regatas, nomeadamente pela Casa Real Portuguesa desde o século XIX.
O galeão foi introduzido no Algarve a partir da Andaluzia para ser usado na arte do galeão. A sua duração foi curta, tendo sido substituído por uma versão a vapor e, desde então, reconvertido para o transporte de sal.
Esta emissão filatélica é composta por três selos e um bloco: um selo canoa do alto com um valor facial de 0,45€ e uma tiragem de 155 000 exemplares; um selo calão com uma tiragem de 145 000 exemplares e um valor facial de 0,72€; o selo canoa da picada com um valor facial de 0,80e e uma tiragem de 115 000 exemplares; e um bloco com o valor de 1,80€ e uma tiragem de 40 000 exemplares.
O design esteve a cargo de Carlos M. Carvalho e os selos têm um formato de 40 X 30,6 mm enquanto o bloco terá um formato de 125 X 95 mm.


In. https://www.ctt.pt/ctt-e-investidores/comunicacao-e-patrocinios/media/noticias/ctt-lancam-emissao-filatelica-sobre-barcos-do-mediterraneo
 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog