sábado, 11 de abril de 2015

TUDO NA CABECEIRA - O QUE EU VOU LER: AS ESGANADAS


TEXTO: DIVULGAÇÃO E GUSTAVO DO CARMO


Quando acabar o livro da história da Light vou pegar para ler o último romance do (ex-)humorista Jô Soares: As Esganadas.

Lançado em 2011 pela Companhia das Letras, o romance se passa no Rio de Janeiro de 1938 (Nota do editor: Jô, que mora em São Paulo há muitos anos, sempre ambienta os seus romances por aqui e tem fixação pelo período do governo de Getúlio Vargas), quando um perigoso assassino anda à solta nas ruas. O alvo: mulheres jovens, bonitas e gordas. A arma: irresistíveis doces portugueses. Para investigar os crimes, o famigerado chefe de polícia Filinto Müller designa uma trupe hilariante: um delegado sempre rabugento, assessorado por um auxiliar obtuso e medroso, e que contará com a ajuda de um ex-inspetor lusitano muito bem relacionado. Os três serão também acompanhados por uma repórter e fotógrafa corajosa e dinâmica, interessada em cobrir o caso para a imprensa. Com a verve que lhe é característica, Jô Soares consegue neste romance realizar a façanha de narrar uma série de crimes brutais e deixar o leitor com um sorriso satisfeito nos lábios. (da sinopse de divulgação)

Uma curiosidade a respeito de Jô Soares é que ele odeia o uso de termos politicamente corretos, como gordinhas, fofinhas, obesas, entre outros, para se referir a pessoas gordas. Para ele é GORDO mesmo.

Além do seu livro de piadas, O Astronauta Sem Regime, Jô Soares publicou outros romances de sucesso como O Xangô de Baker Street, O Homem que Matou Getúlio Vargas e Assassinato na Academia Brasileira de Letras. Destes, eu só não li O Astronauta e Xangô.

Quando estiver quase na metade volto aqui para contar se eu estou gostando ou não.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog