quinta-feira, 14 de novembro de 2013

O Acordo Ortográfico

João Paulo Mesquita Simões

Luís Vaz de Camões, referenciado como o Poeta da Língua Portuguesa, autor de "Os Lusíadas", obra poética que descreve a viagem de Vasco da Gama à Índia e os feitos dos portugueses, ficaria extremamente desiludido com aquilo que em pleno século XXI estão a fazer à Língua Portuguesa.

A partir de 1 de janeiro de 2014, o Português vai sobrer alterações na sua língua.

Dizem que é para que haja um maior entendimento entre Portugal e os PALOP.

Pessoalmente, não concordo com este acordo. Potugal foi pioneiro nas descobertas marítimas, levando consigo a Língua e a Fé Cristã. Ora se a partir do próximo ano, palavras que tenham vogais que não se leiam são abolidas, como por exemplo "excepção" que passará a ser escrito como em brasileiro "exceção", meses do ano e dias da semana em minúsculas. Palavras que até agora eram separadas por hífen deixam de o ser, como "mini-saia" passa a escrever-se "minissaia", é um verdadeiro atentado à Língua Portuguesa e a quem a levou aos quatro cantos do Mundo!

Mas os "entendidos" acham que está muito bem e que vai para a frente o tal Acordo. Assim, a partir do próximo ano, qum não escrever segundo as novas regras, está a dar erros ortográficos.

Um dos países que não assinou este Acordo foi o Brasil. Penso mesmo que se insurgiu contra ele.

Concordo com o Brasil. Concordo que, se nos PALOP todos falamos a mesma Língua, a de Camões, acho que cada país deve usar as suas expressões que os caracterizam e diferenciam. 

A isto chama-se "Cultura de um Povo"!

Deixo aqui dois selos que fazem a série de Camões, e gostava que lessem oss versos do Poeta.

Como são tão atuais!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog