quinta-feira, 5 de setembro de 2013

O Signo e o selo

João Paulo Mesquita Simões


A Linguística e o selo estão ligados. Ambos comunicam.
Um dos maiores linguístas da nossa História, Ferdinand de Saussure afirmava que "o sintagma, (...) como a combinação de formas mínimas numa unidade linguística superior, surge a partir da linearidade do signo, ou seja, ele exclui a possibilidade de pronunciar dois elementos ao mesmo tempo, pois um termo só passa a ter valor a partir do momento em que ele se contrasta com outro elemento. Já o paradigma é, como o próprio autor define, um "banco de reservas" da língua, fazendo com que as suas unidades se oponham, pois uma exclui a outra.
O signo linguístico constitui-se numa combinação de significante e significado, como se fossem dois lados de uma moeda. O significante é uma "imagem acústica" (cadeia de sons) e reside no plano da forma. O significado é o conceito e reside no plano do conteúdo.

In: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ferdinand_de_Saussure

Se olharmos para um selo, este transmite-nos uma imagem - o tema do selo - e o conteúdo, aquilo que o selo representa para nós. Também ao olhá-lo, a imagem que se nos apresenta, significa o busto da República. Sabemos que o selo é comemorativo dos 100 anos da Implantação da República em Portugal em 5 de outubro de 1910. Para o estrangeiro, esse fica a saber que o selo é português, pois o nome do país está lá explícito bem como o preço o desenhador e outros elementos que o caracterizem.


Mas há casos omissos na Filatelia, mas que a nossa perceção, o significante, nos informa.
É o caso da Filatelia Britânica, em que o nome do país não consta nos selos. No entanto, ao pegarmos num selo inglês, sabemos que o é, porque no seu canto superior direito, está a esfígie da rainha Vitória que serviu de base ao primeiro selo do mundo: o penny-black.


Aos nossos olhos, e sabendo que todos os selos ingleses têm como significante aquele pequeno símbolo, já sabemos que pertencem àquele país e só nos resta, tal como nos selos portugueses, ver o seu conteúdo para sabermos se é comemorativo ou não e se o é, o que comemora.
Esta analogia entre a linguagem dos signos e a Filatelia, ajuda-nos na feitura das nossas coleções, a perceber as próprias coleções e fazê-las interagir com outros selos.
A Linguagem, é o meio que temos para comunicar e que nos distingue dos outros seres vivos.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog