segunda-feira, 8 de julho de 2013

O ROMANCE DE ULISSES



Conto de Gustavo do Carmo

Judite nunca leu um livro na vida, mas sempre apoiou o filho. Ulisses sonhava e tentava ser escritor de sucesso. Porém, enfrentava a resistência do pai, que vivia lhe obrigando a fazer um concurso público. As cobranças de pai para filho terminavam sempre em conflitos violentos.

Um dia, Ulisses enfim conseguiu um contrato bem remunerado de uma editora para escrever um livro. Meses depois, quando o romance estava com uma quarta parte concluída, ele morreu atropelado, após mais uma discussão com o pai.

Para cumprir o contrato e garantir a bolsa da editora, Judite se motivou a terminar o romance do filho. Só não esperava enfrentar a falta de apoio do marido — que disse que ela mal sabia escrever uma lista de compras quem dirá um livro — e da filha, que disse que ninguém na família precisava de dinheiro.

— Mãe, por que você cismou de terminar o romance do Ulisses?
— Porque eu quero homenagear meu filho.
— Mas você nunca leu. Imagina escrever um romance.
— Vou aprender. Além do mais, preciso cumprir o contrato que ele assinou.
— Mas ele está morto! A editora não vai pagar!
— Vai sim! Eu já conversei com eles, que já me autorizaram a terminar.
— Você não precisa de dinheiro. Eu posso te sustentar.
— Eu não quero que me sustente! E eu não estou fazendo isso por dinheiro! 

Estou fazendo pela memória do meu filho, que morreu atropelado por causa das cobranças neuróticas do seu pai, que cismou que ele tinha que ser funcionário público!

— Mas o meu irmão era um desocupado! Não fazia nada! Ele tinha que trabalhar.
— Mas não era isso que ele queria!
— Mas ele tinha que fazer. Ele não sabia fazer nada. Nem do que gostava. Era um bobão! Não ia parar em lugar nenhum!
— Não fale assim do seu irmão! Ele já está morto!
— Tudo bem! Não falo mais nada. Faça o que você quiser!


Judite superou a desconfiança e desestímulo da filha e do marido e concluiu o livro. Assinou em nome de Ulisses. O romance se tornou um best-seller. Judite ficou rica com as vendas. Publicou os contos inéditos do filho e depois se tornou escritora de sucesso com o próprio nome, calando a boca do marido e da filha. 

Nenhum comentário:

Arquivo do blog