quinta-feira, 30 de maio de 2013

A experiência de escrever um livro filatélico

João Paulo Mesquita Simões

Quando iniciei o  "Teclas, o filatelista", foi com o intuito de levar à camada mais jovem, o gosto pelo colecionismo, e porque também gosto de escrever. 
Vivemos numa sociedade em que as TIC é que predominam, o e-mail veio quebrar a tradicional carta selada que antigamente escrevíamos aos nossos parentes e amigos e, os nossos jovens nascerem com as Novas Tecnologias. 
A ciência tecnológica, é uma extensão do ser humano.
Porque não aliar a Filatelia às Novas Tecnologias?
Foi esse o meu objetivo ao escrever este livro, em que um jovem de 14 anos completamente envolvido por computadores e telemóveis, passa a gostar de colecionar selos, gosto incutido por seu avô.
Depois de ter sido gozado na escola, ao contar aos colegas que iria colecionar selos, o Teclas, muito magoado, jura mostrar que com a Filatelia se pode aprender Cultura, conseguindo levar os seus colegas a visitar a sua exposição o que motiva nesses jovens o interesse pela Filatelia. De tal maneira que, ao iniciaremas aulas, propõem aos professores criar um núcleo filatélico.
A linguagem utilizada neste livro, é a linguagem usada pelos nossos jovens de modo a cativá-los também à leitura, que cada vez se vê menos em deterimento dos computadores, televisão, jogos de consola e todas essas tecnologias.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog