quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Bicentenário do nascimento de Richard Wagner e Giuseppe Verdi

João Paulo Mesquita Simões

Wilhelm Richard Wagner, compositor, maestro, intelectual, ativista político e representante do neo-romantismo alemão, cuja obra influenciou a música ocidental. Wagner nasceu em uma família de artistas.

Viveu cerca de três anos em Paris e, em 1842, com 29 anos, retornou a Alemanha onde sua ópera "Rienzi" foi encenada.

Nomeado regente da ópera real, ocupou esse posto até 1849. Escreveu artigos defendendo a revolução alemã de 1848, que fracassou. Fugiu da Alemanha e não pode ver a primeira apresentação de "Lohengrin", feita por Liszt em 1850.



De 1849 a 1852 escreveu obras impressas como "Arte e Revolução", "A Arte do Futuro", "Uma comunicação a meus amigos", e "Opera e Drama", que delineou um novo tipo de teatro musical.

Dirigiu concertos da Filarmônica de Londres em 1855 e viveu em Zurique até 1858. Wagner acreditava na criação de uma música nacional que, baseada nos mitos de origem do povo alemão e na criação da identidade coletiva, fosse capaz de educar e formar um novo homem, uma nova sociedade. Abertamente anti-semita, denunciou a "judaização" da arte moderna, conclamando por uma "guerra de libertação". Talvez por isso tenha sido o compositor preferido de Hitler.

Influenciado pela filosofia de Schopenhauer, escreveu "Tristão e Isolda"(1857-59), inspirado no seu perdido amor por Mathilde Wesendonk, que causou sua separação de sua esposa Minna. Devido a esse caso amoroso, trocou Zurique por Veneza.

Em 1859 foi a Paris, e, em 1861, anistiado, retornou à Alemanha e depois viajou para Viena, onde desenvolveu seu trabalho como compositor até 1864, quando teve de fugir para não ser preso, devido a débitos financeiros.

Chegou sem dinheiro em Stuttgart e quem o ajudou foi Ludwig 2o, o jovem rei da Bavária, seu grande admirador, que o chamou para viver em Munique. Wagner estava com 51 anos e pelos seis anos seguintes apresentou, com sucesso, suas óperas na capital da Bavária. Porém, novamente ficou endividado, além de tentar imiscuir-se na política do reino e de se tornar amante de uma filha casada de Liszt, que lhe deu três filhos, mesmo antes de se divorciar e casar-se com ele em 1870. O rei decidiu alojá-lo em Triebschen, no lago de Lucerna.

Em 1869 Wagner retomou o projeto da tetralogia "O anel dos Nibelungos". Convencido de que precisaria de um teatro especial para apresentar aquela obra, Wagner concebeu o Teatro Bayreuth, na Bavária, com o apoio do rei. O teatro foi inaugurado em 1876, com a apresentação do "O anel dos Nibelungos".

Wagner permaneceu em Bayreuth, salvo viagens para concertos em Londres e na Itália. Durante esses anos ele compôs seu último trabalho, o drama "Parsifal", iniciado em 1877 e apresentado em 1882. Ditou para a esposa sua autobiografia e morreu em Veneza.

Dom Pedro 2o desejava muito que Carlos Gomes fosse estudar música na Alemanha. O imperador brasileiro era grande admirador da obra de Wagner, colaborando, inclusive, com a construção do Teatro Bayreuth. No entanto, Gomes preferiu a Itália, terra de Verdi.
In: http://educacao.uol.com.br/biografias/richard-wagner.jhtm 
Giuseppe Fortunino Francesco Verdi (Roncole, 10 de outubro de 1813Milão, 27 de janeiro de 1901) foi um compositor de óperas do período romântico italiano, sendo na época considerado o maior compositor nacionalista da Itália, assim como Richard Wagner era na Alemanha.
Foi um dos compositores mais influentes do século XIX. Suas obras são executadas com frequência em casas de ópera em todo o mundo e, transcendendo os limites do gênero, alguns de seus temas já estão há muito enraizados na cultura popular - como "La donna è mobile de Rigoletto, "Va, pensiero" (O Coro dos Escravos Hebreus) de Nabucco , "Libiamo ne' lieti calici" (A Canção da Bebida) de La Traviata e o "Grande Marcha" de Aida. Embora sua obra tenha sido algumas vezes criticada por usar de modo geral a expressão musical diatônica em vez de uma cromática e com uma tendência de melodrama, as obras-primas de Verdi dominam o repertório padrão um século e meio depois de suas composições.
In: Wikipédia
Os Correios de Portugal são das primeiras administrações postais a assinalar esta efeméride com dois selos e dois blocos comemorativos.

Os selos, que reproduzem os compositores, têm porte para cartas até 20 gramas destinado ao correio internacional. Por sua vez, os dois blocos são ilustrados com cenas das óperas 'A Valquíria' e 'Falstaff', respetivamente de Wagner e Verdi.

O bloco reproduz a ópera 'Falstaff' de três atos de Giuseppe Verdi, sobre libreto de Arrigo Boito baseado nas 'Alegres Comadres de Windsor' e no 'Henrique IV' de Shakespeare.

Foi estreada no Scala de Milão a 9 de fevereiro de 1893. O bloco inclui um selo de 1,50 euros que apresenta Sir John Falstaff personagem central da ópera.

Por sua vez, o outro bloco com o selo de 1,50 euros, reproduz Brunnhilde numa cena da ópera 'A Valquíria' e três ctos, que faz parte da tetralogia ‘O Anel do Nibelungo’ com música e libreto de Wagner.

A série completa-se com a emissão da pagela divulgadora, sobrescrito e carimbo de primeiro dia de emissão, a circular desde 28 de janeiro, a primeira emissão de 2013.
In: http:/www./cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/ctt-emitem-selos-do-bicentenario-de-wagner-e-verdi

Imagem: 
 http:/www./cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/ctt-emitem-selos-do-bicentenario-de-wagner-e-verdi

Nenhum comentário:

Arquivo do blog