terça-feira, 16 de outubro de 2012

Todo homem é poeta quando ama





Aquele momento quando felicidade de uma pessoa passa a ser problema seu.




A sua vida começa quando você encontra alguém que te dá vontade de viver.




A santidade de tuas secreções é capaz de abalar meu ateísmo.






Paixão é colorida. Amor é cinza.




Trago nas mãos uma rosa, mas no peito transborda toda uma primavera por você.




Não lembro de ter te dado o direito de me fazer sorrir.







Amar é prestar atenção no que o outro não diz.




É teu sorriso plantado em mim que me faz brotar à flor da pele esse sentimento.




Eu e você habitamos nessa feliz cidade.




Eu e você. Nós que não desatam.







Eu e você somos um plural muito singular.




Algumas mulheres falam muito na esperança de que alguém as cale com um beijo.




É essa saudade que derrete minha alma e faz ela, líquida, transbordar de meus olhos.




Amar é sofrer. E a maioria das pessoas foge do sofrimento. Por isso poucos sabem amar.







Eu aqui. Você aí. Nós na garganta.




Toda a minha vida coube naquelas pequenas três palavras, quando ela me disse "Tu é (m)eu."




Tu és um verso único. Tu és um universo.




E essas palavras que eu não contenho, que me rodeiam, me embalam, me sustentam, são elas que guardo para os teus lábios.




A luz que vem dos teus olhos é tão forte que espanta até as sombras de minhas dúvidas.


Nenhum comentário:

Arquivo do blog