sexta-feira, 31 de agosto de 2012


POR DUDU OLIVA






0

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

João Paulo Mesquita Simões

Quando somos pequenos, começamos a colecionar cromos de futebol, saquetas de açúcar, berlindes, caricas de garrafas de sumos, etc..

Mas há uma altura da nossa vida que desperta para uma coleção mais a sério, porque somos maiores, temos outra visão da vida, e já não somos aquelas crianças que acumulam lixo como coleção.


0

sábado, 25 de agosto de 2012

Por dudu oliva







Excitação pelo novo.

 Receio do desconhecido. 

Entretanto quando tiramos os moveis do lugar, sempre encontramos restos arqueológicos de lembranças antigas. 

Reencontramos nossos eus passados. 

Um turbilhão de sensações e emoções nos invade. 

A mudança é também uma trégua para a monotonia da vida.
0

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

João Paulo Mesquita Simões

Falar do Douro, não é apenas falar de um rio ou de uma região. É muito mais do que isso... é falar toda a sua história e das suas gentes, que o tornam tão especial.
Conhecer o Douro não é apenas visitar a região, é partir numa viagem à descoberta de um lugar único, com uma história, cultura e pessoas únicas.
Existem várias explicações para a origem do nome «Douro». Uma lenda conta que era costume ver-se rolar umas pedritas pequenas e brilhantes, que se veio a descobrir serem de ouro. Há quem diga ainda que o nome se deve à cor barrenta das águas do rio, consequência das grandes quantidades de detritos que as enxurradas arrastavam encostas abaixo e que por serem de um amarelo vivo lhe davam uma cor de ouro. Mas há ainda quem defenda que este nome deriva do latim «Durius», ou seja, «Duro», devido à dureza dos seus contornos tortuosos de escarpas altas e rochosas.
O rio Douro nasce na Serra de Urbión, no norte de Espanha, a cerca de 2000 metros de altitude. É o segundo maior rio de Portugal com um comprimento total de 927 km; em território português, este rio tem apenas 210 km de comprimento e é navegável ao longo de todo esse percurso, graças às cinco barragens que são, hoje em dia, também uma atracção devido ao seu desnível. A Barragem do Carrapatelo tem um desnível no nível da água de 35 metros, um dos maiores desníveis da Europa.
Foi este rio, em tempos muito estreito e perigoso, que trouxe prosperidade à região, visto que era através dele que se fazia o transporte do precioso néctar, o Vinho do Porto. Em séculos passados este rio representava um desafio e um perigo para os que nele navegavam. Estava repleto de fortíssimas correntes e pedras meias submersas. Nessa altura apenas um pequeno barco de madeira – o Rabelo – conseguia navegar nestas águas e fazer o transporte do vinho desde o Vale do Douro até à foz, em cujas margens se situam as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia.

In: http://www.douroazul.pt/Default.aspx?ID=73



0

sábado, 18 de agosto de 2012

Conto de Gustavo do Carmo


Zuleide só cortava o cabelo com o Fred. Só ele sabia aparar as suas pontas e não deixar as madeixas armarem. Somente o Fred podia pintar, alisar e fazer a escova. Além de tudo, era o seu único confidente. Só aceitava conselhos pessoais dele.

0

sexta-feira, 17 de agosto de 2012


DUDU OLIVA



0

sábado, 11 de agosto de 2012

Microcontos de Gustavo do Carmo




Pais
— Eu não trabalhei para sustentar vagabundo! Disse o pai.
— Dê graças a Deus que eu não virei drogado como o seu neto! Respondeu o filho desempregado de 40 anos.



Aquarela
Numa folha qualquer desenhou um sol amarelo. Ficou de castigo por fazer uma aquarela nos documentos oficiais do seu pai procurador de justiça. 


0

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

0

sábado, 4 de agosto de 2012


Conto de Gustavo do Carmo



Era chamado de criança. Aos 50 anos. Renan ainda morava com a mãe e dependia financeiramente do dinheiro do pai e da irmã mais velha. Limpava todo mês a sua coleção de carrinhos em miniatura, com ajuda da mãe. Não tinha vergonha da coleção. Mas tinha vergonha da sua vida.

Estudou jornalismo. Estudou publicidade. Pós-graduou-se em Gestão da Cultura. Fez vários cursos e oficinas literárias. Não guardou aprendizado e nem amizades de nenhuma de suas escolas ao longo da sua vida.

0

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Dudu Oliva





0

Arquivo do blog