quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Prefácio do livro "Teclas, o Filatelista"

João Paulo surpreende-nos neste livro na forma inédita de abordar o mundo do colecionismo. Não é comum encontrar na ficção o tema abordado com a mestria proporcionada na presente obra. Para além, da parte da ficção do nosso “Teclas”, o herói deste livro, transmite-nos muitas informações, dos caminhos a seguir para quem pretenda encontrar no colecionismo um modo de aprender um pouco mais do mundo que o rodeia. A filatelia é aqui abordada numa vertente cultural, sendo esta, a motivação do verdadeiro colecionador. Esta circunstância do livro valoriza-o significativamente.


Incentivar os jovens e os menos jovens em despertarem o gosto pelo colecionismo é uma atitude nobre. Devo referir, que muitos dos nossos museus tiveram origem de quem se interessa por reunir objetos, de os estudar e ordenar. Este livro vai também neste sentido. Certamente quem tiver a curiosidade de o ler verá de uma forma diferente esta atividade cultural.

A Filatelia é sem dúvida uma forma por excelência de colecionismo. O selo postal, depois de observado com mais atenção transmite-nos quase sempre, uma parte significativa da cultura de um povo, e por isso, o torna uma preciosidade divulgadora da sua cultura. Preparar uma coleção, exige da parte do colecionador um grande esforço de investigação despertando no paciente filatelia o gosto pelo saber. A filatelia proporciona-nos este gosto através do labor de uma coleção.

João Paulo desenvolve neste livro, por vezes, uma linguagem muito próxima da utilizada por alguns dos nossos jovens, o que revela a sua atenção à forma como os jovens utilizam a língua portuguesa. Sabemos, se não a utilizarem no seu grupo, poderão ser afastados dele. Com muita sabedoria, João Paulo, consegue levar-nos igualmente a uma reflexão sobre o valor da filatelia, sendo esta, uma boa opção, que nos leva ao conhecimento. Aconselho vivamente a leitura deste livro.



Rui Pais de Carvalho

Nenhum comentário:

Arquivo do blog