quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Quinta Poética






“Eu te amo agora
porque escreveste para mim.

Eu te amo agora
porque de mim tu estás afim.

Eu te amo agora
porque me compraste um presente.

Eu te amo agora
porque tu me ouves sempre, sempre.

Eu te amo agora
porque tu aceitas o que eu faço.

Eu te amo agora
porque tu fazes o que eu quero.

Eu te amo agora
porque tu nunca reclamas.

Eu te amo agora
apesar de nesta hora
ou em qualquer outra
nunca teres dito que me amas.

Eu te amo agora
e para sempre irei te amar
e enquanto não houver outro
a quem eu possa explorar.

Eu te amo agora.
Graças a Deus que te amo,
se não eu jamais teria
meu sonhado 'carro do ano'.

Eu te amo agora
porque eu quero
não te amar
e isto não é causa
e nem é conseqüência
dos reais objetivos
do meu, meu querer.

Eu te amo agora
não porque eu quero te amar;
sim porque tu atendes
aos meus, meus interesses.

Eu te amo agora
e para sempre vou te querer
e enquanto houver de ti
coisas boas a mim, oferecer.”


                                                 Rogerleo.


Nenhum comentário:

Arquivo do blog