quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

QUARTA POÉTICA: PALAVRAS ESQUISITAS




Palavras esquisitas.


Você pode vir comigo.
Você sabe que eu dirijo.
Sou um alguém natural.
Não chego tarde a casa.

Se você quiser, eu posso,
posso deixá-lo esquivar-se
pelas ruas antigas, chamando
por mim, palavras esquisitas...

Nossas folgas da vida estão próximas.
Mas é impossível sem aquele carro
e nem possível sem o que é você.

Venha, vamos navegar pelas estradas
com estas nossas mãos ajustadas.
Venha, vamos devagar pela manhã.

Você concorda comigo.
Precisamos de algum lugar.
Serve-nos qualquer abrigo.

Vamos sozinhos pela primeira vez.
Repetindo mentiras engraçadas.
Você me ensina as facilidades.
E as dificuldades, esquecidas.

Poderíamos ir, pois sabemos ir.
Você me encontraria bem ali.
Ou eu poderia ir à sua casa.
Eu prometo não me demorar.

Se você quiser, eu posso,
posso ficar e deixá-lo
esperando, mais um pouco,
por mim, para novamente
sem medos de dúvidas,
dizer aquelas eloqüentes
para mim, palavras esquisitas...

                                                    Rogerleo.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog