sexta-feira, 21 de outubro de 2011

MICROCONTO, MICRONARRATIVA, VLOG, ENSAIO, TENTATIVA, APRENDIZADO

Por DUDU OLIVA




No miniconto o fundamental é sugerir, proporcionado a quem for ler o compromisso de desvendar que está por de trás das entrelinhas.  Pois, este gênero sugere algo mais, que não está escrito, mas subliminarmente. O guatemalteco Augusto Monterroso é citado como autor do mais famoso miniconto, desenvolvido com apenas trinta e sete letras: Quando acordou o dinossauro ainda estava lá. O estadunidense Ernest Hemingway é autor de outro surpreendente miniconto. Com vinte e seis letras, mostra uma história de tragédia familiar: Vende-se: sapatos de bebê, sem uso.


Tentativa de crônica: http://cronicas-ideias.blogspot.com/2011/10/por-esses-dias.html


links:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Miniconto

http://www.veredas.art.br/

http://microcontosdocarlos.blogspot.com/

http://www.cartacapital.com.br/tecnologia/microcontos-na-era-do-twitter

http://www.youtube.com/watch?v=8O5GTMK7Lhg&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=ya3AtzKEVLY

http://www.youtube.com/watch?v=MY4kk8wBnGg&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=VFaCb2BUfVE

Nenhum comentário:

Arquivo do blog