sábado, 4 de dezembro de 2010

ENTREVISTA - GUSTAVO DO CARMO


Por Gustavo do Carmo



No aniversário de cinco anos do Tudo Cultural, decidi inovar e entrevistar os meus colaboradores e eu mesmo. Mandei perguntas também para a Rosilene Camara e o Samuel da Costa, mas eles, infelizmente, não responderam. Em compensação, consegui reunir os meus quatro mais fiéis parceiros. Na ordem em que entraram para a equipe, Dudu Oliva, Miguel Angel, João Paulo Simões e Ed Santos. E nesta mesma sequência, de cima para baixo, virão as suas entrevistas.




Pensei em entrevistar também os meus ex-colaboradores. Mas assim que eu imaginei alguém respondendo à pergunta "Por que você deixou de participar do Tudo Cultural?": "Porque você me demitiu", achei melhor pensar em outra forma de homenagem à Rachel Souza, Lunna Guedes e o Alexandre Giostri. (risos)






Antes das entrevistas dos colaboradores, leia a minha.


O que te motivou a seguir uma carreira literária?
Vou falar com sinceridade: a fama. Não exatamente pelo dinheiro, mas pelo reconhecimento do meu nome. Com o tempo eu amadureci e aprendi a escrever com mais qualidade. (risos). Fiz diversas oficinas literárias e uma de roteiro para cinema (que na verdade era mais de argumento). Me preparei para a minha carreira. É a minha meta. Acredito que ainda vou viver da minha literatura. Mesmo que seja uma vida simples, de classe média-média. Claro que venda de livro não dá tanto dinheiro (embora não acredite muito nisso), portanto, que venha das adaptações para as outras artes.

O que te motivou a criar o Tudo Cultural? Como criou o blog?
A liberdade de expressão e a intenção de criar um negócio próprio, embora nunca tenha me dado dinheiro. Já tinha um site caseiro sobre carros, mas dava muito trabalho para gerenciar. Abandonei e criei vários fotologs.

No entanto, percebi que precisava falar de outro assunto. Então escolhi a cultura. Estava fazendo uma pós-graduação em Gestão de Cultura em 2005. A ideia era postar os meus textos e dos meus colegas da pós. Mas ninguém se interessou. Criei sozinho no Blog-se. E sozinho cuidei do blog no primeiro ano.

Passou o tempo e reformulei o conteúdo do blog. Era totalmente sozinho para colocar notícias e nem tinha assessoria. Decidi focar o Tudo Cultural na literatura e postar os meus contos e algumas crônicas (que não escrevo faz tempo). Fui colaborador de uma extinta revista online (Revista Núcleo) em 2006. Incluí o Dudu Oliva na equipe. Aí vieram o Miguel Angel, o João Paulo Simões, o Ed. Tentei com o Alex Giostri mas não deu certo. Ele era muito ocupado e quando fui cobrar fui ofendido. Isso depois de ter divulgado tantos projetos dele e até o livro do seu cliente: o então ex-BBB Jean Wyllys.

Em fevereiro de 2008, vim para o Blogspot. O Tudo Cultural também tem espaço reservado para as dicas culturais, as resenhas literárias e publicitárias e as biografias. Estão suspensas, mas não as declaro extintas. Só não tenho tempo, mas, sim, preguiça de retomá-las. A Dica da Segunda só está ativa graças ao apoio e à confiança da Sheila Fonseca, assessora de imprensa do jovem ator Elias Hatab. É só ela quem me manda as pautas. Agora, também, o cantor Bebeto. Quando me interesso muito por um evento, um filme ou um livro é que eu faço sem pedir. Já fui criticado por dar muito cartaz a produtores famosos, mas quando dei oportunidade para esse crítico divulgar o seu trabalho, ele se negou a mandar material.

Você deixaria o Tudo Cultural para escrever em outro blog ou site?
Já escrevo. Colaboro para o Literário, do Pedro Bondaczuk, mas ainda com textos já publicados aqui. Se eu for contratado com remuneração aí vai depender: se der para manter eu mantenho. Vai depender do contrato também. Mas o meu plano é tornar o Tudo Cultural rentável, claro.

Tem interesse em seguir a carreira profissional de escritor?
Claro. É a minha meta e já falei disso acima.

O que fazia antes de criar o Tudo Cultural?
Me formei em jornalismo e publicidade. Criei o site Gustacar e depois os dois fotologs Guscar. O blog Guscar foi criado meses depois do Tudo Cultural Blogspot.

Quais os seu autores preferidos?
Nelson Rodrigues, pela sua relação com a hipocrisia e a tragédia, que fazem parte da nossa vida. De autor estrangeiro, o Paulo Coelho (brasileiro ele não é mais), pela sua história. Não por ser ex-drogado, que isso eu condeno, mas por ter sido desacreditado pela família e depois ter ficado rico. Ele é a minha inspiração. De autor estrangeiro de verdade gostei de dois livros do Mitch Albom: o "As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu" e "Por Mais um Dia".

Qual livro está lendo atualmente ou o último livro que leu?
Atualmente estou lendo Presa Fácil, do John Sandford. É um trhiller policial bem clichêzinho, sobre o assassinato de duas mulheres em uma festa com muita droga que provocou outros crimes. Estou quase abandonando. O próximo da fila é a história do canal de televisão a cabo GloboNews. O último livro que eu li foi a biografia do Lee Iacocca, ex-presidente da Ford e da Chrysler, que tirou essas duas montadoras de veículos da falência.

Qual o seu próximo projeto (na cabeça ou em andamento)?
O único em andamento é terminar a pós-graduação em telejornalismo (nota atualizada: abandonei). Sonho em ser indicado para trabalhar em algum lugar. Em mente, quero levantar dinheiro para pagar uma editora e publicar o meu terceiro livro, uma coletânea de contos. Mas uma editora que se prontifique a registrar, divulgar e distribuir o livro. Mais distante, gostaria de abrir uma livraria. Mas, para isso, eu preciso de ajuda.

Se não existissem o Tudo Cultural, a sua profissão ou a carreira de escritor o que desejaria fazer?
Vendedor de carros.

Qual recado daria para o leitor e os seus colegas do Tudo Cultural?
Obrigado aos colaboradores por continuarem comigo em 2010 e parabenizo pelos seus textos e dedicação neste ano que termina. Peço que continuem comigo em 2011, que tudo vai dar certo. Vamos nos reunir pessoalmente, para tomar um refrigerante, incluindo o João. E vocês estão livres até a primeira quinzena de janeiro: férias! (risos)

Aos leitores quero agradecer pela audiência aos nossos textos, que são vistos por média de 400 leitores por dia em todo o mundo. Assim, também quero cumprimentar os leitores do Brasil, Portugal, Estados Unidos, Dinamarca, Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Itália, Moçambique, Suiça, Israel, Austrália, Grécia e Áustria.

O Tudo Cultural para por um mês e meio e volta na segunda quinzena da janeiro com novos contos, dicas e resenhas literárias. Embora que na época do natal e ano novo deverei postar alguns contos durante as férias. Um feliz natal e um 2011 de muito sucesso para os leitores, colaboradores e a mim também. Curta a entrevista com os nossos colegas nos posts abaixo.

2 comentários:

Aline Vila Velha -ES disse...

Olá Gustavo, muito interessante essa entrevista, mas passados seis anos, e refizesse isto, as respostas seriam as mesmas? Algo mudou?

Gustavo do Carmo disse...

Olá, Aline. Alguma coisa mudou sim, como a entrada de novos colaboradores. Mas boa parte das respostas destas questões seria a mesma.

Arquivo do blog