domingo, 11 de julho de 2010

COMEMORAR O QUE?

Por Ed Santos


Se em ano de Copa do Mundo os feriados quase passam despercebidos, imagine as outras datas comemorativas, aquelas que ninguém lembra? No reveillon o Brito conheceu a Mirian na casa de uns amigos em comum e depois de trocarem telefones e marcarem de sair, começaram a namorar. O dia da oficialização foi 29 de Janeiro, no aniversário do sobrinho da Mirian, que também serviu para a família conhecer o namorado.
Na primeira viagem juntos, no carnaval, tiveram a primeira briga. Os olhos do Brito deram uma pequena desviada em direção de uma bunda exposta ao sol, e logo foi decretado o dia internacional da insatisfação feminina.
No mês de março a Mirian começou a pegar pesado. Fez questão de dizer ao pai que o namorado, iria fazer um churrasco em homenagem ao sogro. Ela só não sabia se o namorado iria comemorar o Dia do Sogro ou o dia do Vendedor de Livros, profissão do sogro antes da aposentadoria. “Prefiro que seja no sábado dia 19, que á dia do artesão. Depois posso descansar no domingo”, disse o pai desconversando.
O namoro transcorria dentro da normalidade, até que o Brito percebeu essa coisa da Mirian com as datas. Dia desses ele ficou sabendo pela mãe da moça, que ela ficou assim fissurada com as datas comemorativas, que sempre teve problema com empregos. Tudo começou quando num dia de finados, ela e uns amigos iam viajar e um deles morreu caindo do trem ao sair do serviço e indo encontrar com os amigos. Depois daquele dia, a Mirian deixou de viajar em feriados e ficava pensando na fatalidade da morte do amigo toda vez que uma data comemorativa se aproximava. Natal e Reveillon, pra ela não existiam. Esse mais recente foi o que fez ela sair de casa, porque o pessoal todo tinha combinado de que ninguém iria de branco, e quando desse meia noite, ninguém iria parar de dançar pra brindar nada. A intenção era parecer uma festa normal. E foi. Depois daí Mirian ficou mais amena com as datas comemorativas, apesar de saber todas, ou quase todas de cor.
A pensativa Mirian começou a ficar preocupada. Sexta-feira, o namorado deu de ombros e fingiu que não ouviu quando a moça disse que estava pensando em trocarem alianças no dia 15 de agosto, que é o dia do solteiro. Apenas pra contradizer a data. Mas o Brito resolveu mudar de assunto e disse que iriam primeiro curtir a vida e aproveitar o momento. Disse que pediria uma pizza no sábado, que por acaso é o dia da pizza, e que na terça, iriam curtir um som pra comemorar o dia do rock.
Mirian triste e descompassada foi correndo ver no calendário qual era a data do fim de seu namoro. Ao que tudo indicava, Brito também havia se apegado às datas e passou a vivê-las como a namorada. Ficou feliz ao ver que o Dia Internacional do Homem é só no dia 19 de novembro e acalmou-se um pouco.
Na quinta-feira ela se surpreendeu com as palavras do noivo: “Mirian, não dá mais pra ficarmos juntos”, avisou e foi-se. Ela correu na folhinha e foi conferir que dia era aquele: no Brasil, no dia 15 de julho, é “celebrado” o dia do homem.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog