quinta-feira, 15 de abril de 2010

HISTÓRIA - A GATA COMEU 25 ANOS


Por Gustavo do Carmo

A novela que mais representou os costumes urbanos e cariocas da década de 1980 está completando, hoje, 25 anos. No dia 15 de abril de 1985 foi ao ar, às seis da tarde, na Rede Globo o primeiro capítulo de A Gata Comeu. Escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Herval Rossano, era um remake de A Barba Azul, exibida onze anos antes pela extinta TV Tupi. Esta foi estrelada pelo casal Eva Wilma (Jô Penteado) e Carlos Zara (Professor Fábio).

A Gata Comeu foi protagonizada por Christiane Torloni que vivia a rica, mimada e sonâmbula Jô, uma bela mulher que já tinha sido noiva sete vezes, mas nunca conseguiu amar os seus pretendentes, fazendo-os de gato e sapato. Já Fábio era um simples professor de escola primária interpretado por Nuno Leal Maia. Ele organizou uma excursão com seus alunos, entre eles o seu filho mais velho, Cuca, a uma ilha paradisíaca no Rio de Janeiro. A viagem foi patrocinada pelo empresário Horácio Penteado (Mauro Mendonça), pai de Jô. Por causa de um temporal, o iate emprestado por Horácio foi desviado para uma ilha deserta sem nenhuma comunicação. Fábio sofreu não só com o acidente da excursão como também com os chiliques de Jô, os ciúmes de sua noiva Paula e os roubos feitos por pescadores. Quem também aprontava era o divertido casal Gugu e Tetê, interpretados por Cláudio Corrêa e Castro e Marilú Bueno. Os dois brigavam como cão e gato, mas se amavam. Quando Tetê ficou grávida de Gugu no meio da novela, começou a ter desejos mirabolantes como carne de macaco (alimento deles na ilha) e pirulitos coloridos.

De tanto brigarem também, Fábio e Jô, de volta à cidade, acabaram se apaixonando. Prestes a se casarem, eram vítimas das armações da agora ex-noiva Paula (Fátima Freire) e da irmã postiça e invejosa Gláucia (Bia Seidl), respectivamente. Tanto fizeram que Jô acabou se acidentando. Meses depois, após pensar que o pai tinha se suicidado, Jô perdeu a memória e se esqueceu do grande amor da sua vida. Para ajudá-la a se lembrar dele, Fábio reorganizou, a pedido dela, a excursão feita no início da novela.

No núcleo coadjuvante, destaque para as crianças que formavam o "Clube dos Curumins" (entre eles os hoje conhecidos Danton Mello e Juliana Martins) e o jovem triângulo amoroso formado por Tito (Jayme Periard), Babi (Mayara Magri) e Zé Mário (Élcio Romar) que se fingia de cego e usava o nome de Braguinha para conquistar a filha mais velha e mal-humorada do casal Gugu e Tetê. Havia também outros dois picaretas na novela e eram interpretados pelos saudosos Luiz Carlos Arutin e Laerte Morrone. O primeiro era Oscar, o aposentado tratado a pão-de-ló pela esposa Conceição (Dirce Migliaccio), mas que saía escondido para azarar algumas garotas nas praias da zona sul. Já Vitório era um pobre garçon que fingia ser o Conde di Parma para conquistar Gláucia (Bia Seidl), irmã postiça e arrogante de Jô. Mas ele acabou se apaixonando por Ivete (Nina de Pádua), filha de Oscar. Temos que lembrar também dos personagens de Roberto Pirillo (Tony) e Eduardo Tornaghi (Rafael) que moravam juntos com Zé Mário e Vitório. O primeiro era metido a galã e acabou casando com Paula. O segundo era o ex-namorado de Jô e um ator que recusava convites de televisão em defesa do teatro. A Gata Comeu foi um dos primeiros trabalhos de José Mayer, Bia Seidl e a estreia de Deborah Evelyn.

A Gata Comeu não conquistou a geração 80 e as crianças que hoje beiram ou já passam dos trinta só pela sua história simpática, divertida e positiva. A trilha sonora até hoje é lembrada por seus fãs. No disco nacional (nenhum brasileiro sabia na época o que era CD), a novela era embalada pelo tema de abertura COMEU, composta por Caetano Veloso, mas interpretada pelo Grupo Magazine, de Kid Vinil; por AMIGO DO SOL, AMIGO DA LUA, música emocionante de Benito diPaula, tema de Fábio; SÓ PRA O VENTO, de Rittchie, cantada para Jô e TIPO ONE WAY para Babi do grupo Ciclone, uma não-vingada cópia nacional dos Menudos, febre da época. Entre as músicas estrangeiras, ícones da década como Freddie Mercury (I WAS BORN TO LOVE YOU), Men at Work (EVERYTHING I NEED), Bryan Adams (HEAVEN), Mick Jagger (JUST ANOTHER NIGHT), Manhattans (FOREVER BY YOUR SIDE), Jim Diamond (I SHOULD HAVE KNOWN BETTER - conhecida no Brasil como "Melô do Bombeiro") e até outra imitação dos Menudos: os argentinos Tremendo (WE CAN CHANGE THE WORLD). Uma curiosidade da trilha sonora foi que o disco internacional chegou às lojas com a música CRAZY FOR YOU, de uma Madonna ainda jovem, mas por motivos contratuais teve que ser substituída por SMOOTH OPERATOR da romântica e charmosa Sade.

Reprisada várias vezes, inclusive recentemente pelo canal a cabo Viva, a Gata Comeu pode continuar sendo reprisada sempre, mas como a Rede Globo adora regravar novelas, torço para que a história de Ivani Ribeiro entre para esta lista composta  pela própria e também por Roque Santeiro, Selva de Pedra, Mulheres de Areia, A Viagem, Irmãos Coragem, Anjo Mau, Pecado Capital, Cabocla, Éramos Seis, Ossos do Barão, Escrava Isaura, Sinhá Moça, O Profeta, Paraíso, Tititi, contemporânea de A Gata Comeu, Guerra dos Sexos, O Astro, Gabriela, Saramandaia, o Rebu e Sassaricando (rebatizada de Haja Coração).

Parabéns a todos os atores, diretores e outros membros da equipe desta marcante novela que terminou no dia 18 de outubro do mesmo 1985.



Fontes de consulta:


- www.teledramaturgia.com.br

- Almanaque dos Anos 80 (Luiz André Alzer e Mariana Claudino)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog