Livraria Cultura

quarta-feira, 31 de março de 2010

Os 13 dias que abalaram o mundo


O Filme em destaque do meu post de hoje retrata um fato histórico que quase transformou a Guerra Fria em conflito declarado, potencialmente poderia ter sido a 3ª guerra mundial.
Como é de conhecimento de muitos, O termo Guerra Fria surgiu, devido à inexistência de uma Guerra declarada (como foram as 1ª e a 2ª Guerras Mundiais), no período que compreendeu o final da 2ª Grande Guerra e o fim da cortina em 1989. No período em questão o mundo estava partido em duas áreas de influencia, capitalismo e socialismo respectivamente representados por EUA e URSS, ambos membros permanentes do Conselho de Segurança (CS), o que dava direito de veto. Durante o período da Guerra Fria a ONU ficou quase completamente paralisada pela freqüente ameaça e/ou uso do veto pelos membros permanentes do CS.
Sobre esse período o ex-secretário de Estado Henri Kissinger declarou:
“ A diplomacia contemporânea se desenvolve em circunstancias sem precedentes. Raras vezes existiu base menor de entendimento entre as grandes potências, mas tampouco jamais foi tão coibido o uso da força.”
Ao assistir o filme em questão fica claro o dilema enfrentado por Kennedy e seus assessores durante a Crise dos MÍSSEIS em Cuba no ano de 1962. A tentativa de se manter a ética nas decisões tomadas pelos chefes de Estado em questão diante do conflito eminente, uma vez que pessoas com tal cargo têm responsabilidade perante o interesse da sociedade, e é preciso medir as palavras no momento de direcionar informações.
As negociações durante a crise foram como um jogo, em que os participantes tinham o dever de agir de maneira estratégica ou a possibilidade de uma guerra nuclear teria se concretizado.
A ganância e o anseio pelo poder fizeram e fazem com que países se confrontem em intermináveis discussões a fim de se sobressaírem no âmbito internacional.
No episodio em questão podemos verificar que saídas diplomáticas são favoráveis para ambos os lados seja qual for a situação; evitar o confronto direto anula o risco de maiores destruições provocando sérias desestabilidades globais, ou até mesmo sua destruição.
Contudo, ainda tenho uma duvida, se a guerra fria acabou, a cortina de ferro caiu e não há mais a possibilidade de guerra entre EUA e URSS, porque Cuba ainda permanece sofrendo sanções comerciais pelos EUA? Mas, sobre isso falamos na próxima quarta-feira. Espero vocês, até lá.

Por Rosilene Camara

3 comentários:

Miguel Angel disse...

O por que Cuba ainda sofre sanções dos EUA? vc promete falar nesta quarta.
Estou ansioso para saber sua visão.
No aguardo,

Anônimo disse...

Esse filme realmente demonstra o quão perto estivemos de, por tabela, sermos incluídos na 3ª Guerra Mundial. Se não fosse a coerência do Assessor do Presidente (Kevin Costner) em "entender" os passos do presidente soviético, e a ânsia dos outros assessores (militares)em promoverem a guerra. Simplesmente muito 10 esse filme.

Anônimo disse...

quais as questões socioeconômicas
desse filme??