sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Breve Romance de Sonho de Arthur Schnitzler

Por Dudu Oliva



Albertina, esposa de um médico vienense muito bem-sucedido (Fridolin), narra a ele uma fantasia sexual. A partir daí, na mesma noite, ele faz uma viagem vertiginosa entre a realidade e o sonho. Sua aparente tranqüilidade é abalada com a fantasia da esposa, ele se sente traído por ela. Ao decorrer da história, Fridolin entre em contato com seus desejos reprimidos e aventuras eróticas que se assemelham a um sonho delirante. o cineasta norte-americano Stanley Kubrick baseou-se neste pequeno romance de Arthur Schnitzler, para fazer seu último filme: De Olhos Bem Fechados(1999), com Tom Cruise e Nicole Kidman nos papéis principais.


Quando retorna para casa, Albertina revela a ele que sonhara que estava num bacanal no qual o marido era condenado à morte, coincidindo com a experiência que ele teve, ao ir a um baile de mascarados de penetra, onde passara por experiências que nunca pensara em provar. A história possui muitos elementos psicológicos, principalmente analisados pelo psicanalista Freud. “ Um sonho é a realização de um desejo.”. Portanto, Fridolin sentiu realmente traído pela mulher. Também, a narrativa mostra o conflito entre a razão e o instinto: “ Somos feitos de carne mas temos de viver como se fôssemos de ferro.”( Freud). Fridolin passa o tempo inteiro a sofre uma angústia, devido a sua posição e os desejos que brotaram nele, quando ouviu a revelação da esposa.

Ao terminar de ler o livro, comecei a pensar em algumas questões como, por exemplo: se realmente deve revelar tudo para o outro, mesmo os sonhos e pensamentos mais íntimos? Ou há necessidade de ocultar algumas verdades com fantasias e máscaras para proteger uma relação afetiva? Será que é preciso dizer a verdade sempre ou há coisas que somente nos dizem respeito? Eu acho que existem certas coisas que ninguém precisa saber. São inofensivos segredos e desejos íntimos, os quais carregamos para a tumba.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog