domingo, 31 de janeiro de 2010

AS HISTÓRIAS DO AMADEU - SEU AMARILDO (AINDA BEM!)

Por Ed Santos

- Ô Amadeu, é o Pedro, tudo bem?

- Pedro! Que você quer?

- Então, cê ligou pra mim. Que tem o carro?

- Meu, já passou uma semana. Cê acha que o carro ia ficar esperando sua boa vontade? Não precisa mais, já arrumei!

- Que é isso Amadeu? Que bronca é essa?

- Nenhuma bronca não Pedro! E aí, consertou o carro da tal da Marilda?

- Marilda? Que Marilda Amadeu?

- A Marilda do carro verde que mora aí perto da sua casa.

- Não conheço nenhuma Marilda não cara, tá louco?

- Conhece sim, claro que conhece. Você tava arrumando o carro dela no dia que eu liguei pra você na semana passada, num lembra mais?

- Amadeu, num é Marilda. É Amarildo, “seu Amarildo”. Aquele senhor da banca de jornal da estação tá lembrado?

- Ah, é?

- É sim.

- Ah, tá.

- E quem é essa tal Marilda?

- Ah, esquece.

- Mas como esquece cara? O negócio te deixou tão nervoso assim? como esquece?

- Esquece Pedro. Olha, desculpa aí meu nervosismo. Pensei que era outra pessoa. Quando dá pra você vir aqui?

- Ué! Como assim?

- Pra ver o carro!

- O seu?

- Não, o do presidente da república! Lógico que é o meu né ô!

- Mas você não disse que já arrumou?

- Já, mas quebrou de novo. Peguei outra chuva. Dá pra vir hoje?

- Hoje num dá. Tenho um serviço pra ver já..

- Onde? Aqui perto?

- É. Pertinho. Aqui na minha rua mesmo Mas vai demorar um pouco.

- É mulher?

- É. Mas já vou avisando que o nome dela é Dalva.

- E amanhã, dá pra vir?

Nenhum comentário:

Arquivo do blog