domingo, 1 de novembro de 2009

BURACOS

Por Ed Santos

Ontem, estava passando por uma das mais movimentadas ruas da região e me deparei com um buraco enorme. Quase enfiei o carro nele, mas tive tempo suficiente para desviar e passar numa poça, jogando toda água numa senhora que estava caminhando pela calçada. Naquele local onde passei, o asfalto sumiu. A mulher coitada, que estava com uma sacola na mão, deu um grito que assustou a vendedora da loja de roupas que estava pondo água pra fora com um rodo.

Como iria parar na farmácia, fui encostando o carro e consegui estacionar. Mas a mulher em quem eu havia dado um banho vinha vindo em minha direção e aproveitou para descascar um abacaxi deste tamanho. “Desculpe senhora.” Falei, depois de passar um carão. “A culpa minha senhora, eu queria deixar bem claro, é da mudança climática que provocou essa temporada ininterrupta de chuva, e conseqüentemente ajudou a proliferar os buracos nas ruas da cidade.” – Eu disse com toda a certeza do mundo, isentando a administração pública de toda e qualquer responsabilidade e botando a culpa em São Pedro, que anda meio mau humorado.

Passei na farmácia, comprei o antigripal de costume, entrei no carro e segui viagem desviando de outro buraco, mas não conseguindo me safar de um outro que apareceu na minha frente. O impacto foi tão grande que furou um pneu dianteiro. Encostei o carro e desci. Não, não fui trocar o pneu. Fui até a padaria.

- Um copo com água, por favor?

- Mineral?

- Torneiral mesmo. É pra tomar este comprimido.

- Gripado né? – Perguntou o curioso balconista.

- Um pouco. Quero me prevenir.

- Prevenir? Com essa chuvarada? É ruim, hein!

- Basta o meu carro com o pneu furado! Esses buracos! Pelo menos cuido da saúde!

- É. É melhor acender uma vela pra São Pedro, oferecer um ovo pra Santa Clara e rezar um terço pra São Cristóvão!

- São Cristóvão?

- É. O protetor dos motoristas.

- E o que faço pra acabar com os buracos?

- Só apelando pra Deus, porque pros políticos... Tá difícil né patrão?

- Nem fala. Cada dia pior. Infelizmente a gente tem de esperar a boa vontade deles e torcer pra que o problema seja resolvido. Já é o terceiro pneu que estoura só este mês. Desse jeito eu vou à falência. Meu vizinho perdeu dois só ontem, sem contar com alinhamento, balanceamento e amortecedores.

- Nossa. E o pior é que ouvi dizer que o problema não para por aí.

- É?

- Dizem por aí que falta asfalto pra tapar os buracos.

- Que absurdo!

- Pro senhor ver.

- É buraco no chão, é buraco no orçamento! Tá difícil! É, vou indo, parou a chuva. Ainda tenho que trocar o pneu. Tchau!

- Tchau! Melhoras!

Arquivo do blog