quinta-feira, 5 de novembro de 2009

1944 - Emissão Comemorativa da 3ª Exposição Filatélica Portuguesa


João Paulo Mesquita Simões


Emissão constituida por quatro valores, foi desenhada por Alberto de Sousa, representando um postilhão e no canto superior direito, o Escudo Português. A gravura é de Arnaldo Fragoso e a série foi impressa na Imprensa Nacional Casa da Moeda.
O papel é liso, médio ou espesso em folhas de cem selos com denteado 11,5.
Os valores de cada selo são de $10, $50, 1$00 e 1$75, sendo este último o representado na imagem.
O período de circulação desta emissão foi de 20 de Maio de 1944 a 1 de Abril de 1948.


(Baseado em Livros Electrónicos de Carlos Kullberg)


Segundo o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, volume 2 pág. 2922, Postilhão 1. (Do it. postiglione, de posta correio) (...) Homem encarregue de de transportar, a cavalo e com rapidez, notícias ou correspondência entre várias localidades; homem encarregue da correspondência postal. 2. Boleeiro de diligência ou mala-posta. 3. Mensageiro.
Já no início deste Blogue falei da necessidade que o Homem tem de se comunicar. Olhando para a nossa História, o Correio é também uma forma de comunicação.
Ao longo dos tempos, foram várias as formas de fazer chegar as mensagens aos seus destinatários. Os Faraós no Antigo Egipto, mandavam os Mensageiros a pé entregar as Leis, mais tarde, os Persas foram os que deram um grande desenvolvimento ao Correio, utilizando para isso os cavalos. A informação chegava muito mais rápidamente. Os Romanos mantinham um serviço regular de correio Cursus Publicus.
No nosso país, os senhores incumbiam os seus vassalos de transportar o correio até que, em 1520, D. Manuel, mandou passar uma carta de Correio-Mor a Luis Homem, cavaleiro de sua casa, ficando definido o correio público que, durante muitos anos, continuou a utilizar o cavaleiro (postilhão) levando o correio na mala-posta ao destino.
Com o passar do tempo, e a reforma postal de Rolland Hill, o surgimento do primeiro selo no Mundo e mais tarde em Portugal, os Correios tiveram uma enorme evolução.
O selo, de facto, foi um elemento importantíssimo no envio das cartas. Mas, também como já disse aqui, o Progresso continua! E o selo hoje já não é tão utilizado nas cartas, nem estas são tão usadas devido ao aparecimento do correio electrónico.
Esta 3ª Exposição Filatélica Portuguesa, foi realizada na Sala Portugal da Sociedade de Geografia de Lisboa, de 20 a 30 de Maio de 1944 onde, além da série comemorativa, estiveram muitas outras colecções de selos, as melhores a nível nacional.
Foi também emitido um bloco com os quatro selos que compõem a série.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog