sábado, 18 de julho de 2009

TARDE DEMAIS 7

Gustavo do Carmo

Imagem encontrada no Google

Mal atravessou a porta automática de vidro da livraria em uma média cidade do interior do estado, que é bem iluminada, refrigerada e tem uma boa variedade de títulos, o anônimo escritor foi logo reconhecido pela atendente que o aborda:

— Oi, aqueles livros que você me perguntou se tinham, “Garras da Inteligência” e o “Homem sem biografia”, já chegaram.


— Ah, obrigado por reservar. Mas,desculpa, eu já os comprei lá no Rio. O primeiro eu já li e o segundo estou na metade.


A funcionária faz uma cara decepcionada e lamenta.


— Nós que pedimos desculpa por não termos os livros na hora em que você queria. Não sabíamos que você estava com tanta pressa para lê-los. Infelizmente chegaram tarde demais, né?


— Tudo bem. Eu agradeço por me lembrarem do meu pedido depois de sete meses. Agora vim aqui procurar por outro livro. Vocês têm a biografia de Lella Salvattore?


— Deixa eu ver aqui no computador.


A moça se encaminha para o balcão e é acompanhada pelo cliente. Batuca no teclado do computador aqui, clica no mouse ali e depois de um minuto de silêncio responde frustrada:


— Infelizmente não.


— Obrigado.


O conhecido cliente e escritor anônimo se encaminha para a porta de vidro e sai da livraria. No dia seguinte e nas próximas cinco tardes ele volta e faz o mesmo pedido. Na última negativa tem a certeza de que a livraria não tem tanta variedade quanto aparenta e só vai encontrar o livro que quer no Rio.

Um comentário:

Ed Santos disse...

Para algumas publicações, sete meses já é tempo de procurar pela obra num sebo...rsrs

Gostei do texto, simples e direto.

Paz!
ES

Arquivo do blog