quinta-feira, 16 de julho de 2009

Os primeiros dez anos do euro







João Paulo Mesquita Simões


Em 1 de Janeiro de 2009 passam dez anos sobre um dos momentos cimeiros do projecto europeu e da história contemporânea –a criação do euro.
Com efeito, em 1 de Janeiro de 1999 tinha início a chamada terceira fase da União Económica e Monetária, prevista no Tratado da União Europeia, com a introdução do euro e a condução de uma política monetária e cambial únicas, da responsabilidade do Eurosistema (formado pelo Banco Central Europeu e pelos bancos centrais nacionais dos Estados-Membros participantes na área do euro, nos quais se inclui o Banco de Portugal).
Naquela data, Portugal e mais dez Estados-Membros – Bélgica, Alemanha, Irlanda, Espanha, França, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Áustria e Finlândia – preenchiam as condições para adoptar o euro. Actualmente, a área do euro integra dezasseis países, após a adesão da Grécia (1 de Janeiro de 2001), Eslovénia (1 de Janeiro de 2007), Chipre e Malta (1 de Janeiro de 2008) e Eslováquia (1 de Janeiro de 2009). Para a grande maioria dos cidadãos, no entanto, o euro apenas se tornaria visível em 1 de Janeiro de 2002, com a entrada em circulação de moedas e notas de euro.
O euro representa um decisivo passo no longo processo de integração europeia, desde a instituição, em 1957, da Comunidade Económica Europeia, criando um quadro de estabilidade e de progresso para os cidadãos e para as economias dos países participantes. Cerca de 320 milhões de cidadãos da área do euro comprovam, no dia-a-dia, as vantagens da utilização de uma moeda que também se tornou referência internacional.
Ao associar-se à celebração dos dez anos do euro enquanto símbolo da identidade europeia e factor de integração e de desenvolvimento, a presente emissão filatélica celebra igualmente o esforço conjunto dos países da União Europeia em prol de um projecto determinado a garantir a paz e a prosperidade do continente europeu.

Dados Técnicos
Emissão constituída por dois selos de 0.47€ e 1.00€, desenhados por João Machado em papel de 100 g/m2. O formato é de 40 x 30.6 mm e picotado 13 x “Cruz de Cristo”. Impressor: Cartor

(In: http://www2.ctt.pt/femce/jsp/app/public/category_info.jspx?shopCode=LOJV&categoryCode=8061

2 comentários:

Miguel Angel disse...

"celebra igualmente o esforço conjunto dos países da União Europeia em prol de um projecto determinado a garantir a paz e a prosperidade do continente europeu."
Bonito isso... mas para que dê certo é preciso uma política que proteja a Europa contra aqueles que querem socavar suas democracias para impor ditaduras xiitas baseadas em leis islâmicas, protegidos pelos bocós do 'politicamente correto' de todas as Ong's oportunistas e ditas "socialistas"...
Pobre Europa se assim não for!

Joao Paulo Mesquita Simoes disse...

Mas quanto às ditaduras xiitas e atentados terroristas e ditatoriais, estamos sempre vulneráveis. Infelizmente é uma verdade.
Não vamos mais longe. Vê o meu post de 16 de julho em www.ocoscuvilheiro.blogspot.com
Tens aí o exemplo do início da ditadura na Madeira...

Abraços!

Arquivo do blog