quinta-feira, 7 de maio de 2009

Quem foi o general Carmona?



Por

João Paulo Mesquita Simões



António Óscar de Fragoso Carmona nasce em Lisboa a 24 de Novembro de 1869. É filho de Inácio Maria Machado de Morais Carmona e de Maria Inês de Fragoso Côrte-Real. Casa com Maria do Carmo Ferreira da Silva a 3 de Janeiro de 1914, de quem tem três filhos. Morre a 18 de Abril de 1951 na sua casa do Lumiar em Lisboa, ainda no exercício das suas funções. Os seus restos mortais encontram-se no Panteão Nacional.

Terminado o curso de Cavalaria, é colocado na Escola Prática de Equitação em Vila Viçosa, sendo sucessivamente promovido até Marechal, o que acontece em 1947. Até ao golpe de 28 de Maio de 1926, ocupa a pasta da Guerra e participa também como Promotor de Justiça em vários julgamentos militares resultantes de revoltas do final da I República.

A par do cargo de secretário do Ministro da Guerra de Pimenta de Castro, durante a I República opta por uma posição política neutral que lhe permita manter boas relações com os diferentes sectores políticos. Em 1923, tem uma curta passagem pelo Ministério da Guerra no Governo liderado por Ginestal Machado, sendo o único membro do executivo sem qualquer ligação partidária.

Com o golpe militar de 28 de Maio de 1926, decide intervir para pôr fim à I República, rapidamente assumindo a liderança dos acontecimentos. Presidente da República eleito por decreto de 1926, recorre às urnas dois anos depois para legitimar o seu poder. Após criar condições e permitir a ascensão de Oliveira Salazar nos governos da Ditadura, vê-se por este ultrapassado. Em 1935 é eleito Presidente da República de acordo com as regras da nova Constituição, cumprindo mandatos sucessivos e acabando mesmo por morrer durante o exercício das suas funções.




Relativamente ao selo apresentado na edição anterior, há ainda um aspecto a salientar que é o erro.

Já falei nos erros em Filatelia e que são vários. Nesta emissão, também o selo de 40 centavos apresenta erro conforme mostra a imagem.
Selo não denteado no lado esquerdo, tendo sido separado da folha grosseiramente e ainda atingido outro selo desse lado.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog