quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

1928 - 3ª Emissão da Independência de Portugal



Por João Paulo Mesquita Simões



A Batalha dos Atoleiros – Depois da Morte do Conde de Andeiro, D. João I de Castela, marchou sobre Lisboa para a sitiar, seguindo outro exército Castelhano para o Alentejo.

Assim sendo, o rei de Portugal não podia sair de Lisboa, tendo enviado o Condestável em auxílio das gentes alentejanas.Munido de 300 lanças e 1500 homens, Nuno Álvares Pereira marchou para o Crato, onde a população já oferecia resistência aos castelhanos comandados pelo Prior do Crato. Este, manda um mensageiro a seu irmão, propondo-lhe que passasse para o lado castelhano, o que foi veemente repudiado. As tropas castelhanas levantaram o cerco que faziam à Vila da Fronteira e marcharam contra os Portugueses. Nuno Álvares Pereira esperou as tropas inimigas no lugar de Atoleiros e, formando em quadrado, conseguem vencer os castelhanos que se põem em fuga.

Não foi um grande combate, mas tornou-se notável por ter avigorado os ânimos indecisos de alguns portugueses, tendo assim intimidado os castelhanos, afirmando a nossa força no campo de batalha.

A imagem do selo, mostra bem como o autor do desenho, Alfredo Roque Gameiro, imaginou esta batalha.Gravura a talhe doce por George Harrisson e Normand Broad, foram emitidos 400 000 selos de $05 verde azeitona, 800.000 selos de $40 sépia, e 50.000 selos de 1$00 lilás vermelho. Circularam de 27 a 30 de Novembro de 1928 em papel pontinhado em losangos, denteado 14 de linha.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog