quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Ceres


A Filatelia em Portugal, a partir de 1912, teve nova transformação assim como a nossa Economia. A moeda da Monarquia, foi substituída pelo escudo através do decreto de 11 de Maio de 1911 que dizia:“A unidade monetária passará a ser o escudo de ouro que conterá o mesmo peso de ouro fino que a actual moeda de mil reis em ouro”. Foi então aberto um concurso público em Fevereiro de 1911 para o desenho de um novo selo com a nova moeda. Concorreram vários artistas, tendo sido classificado em primeiro lugar Constantino de Sobral Fernandes (divisa “Pátria” “Ceres”). Era de facto um belo desenho, mas o gravador, experiente, não foi capaz de reproduzir fielmente um dos mais belos selos portugueses. Foram estes os primeiros selos apresentados com a nova moeda, em folhas de 100 selos com denteado 15x14, utilizando papel porcelana, papel esmalte, papel pontinhado em losangos, papel liso, papel acetinado, papel cartolina com espessuras várias. Foram emitidos em centavos de cores sépia, preto, verde-escuro, castanho, carmim, violeta, azul, bistre, ardósia, tijolo, lilás vermelho, castanho s/ verde, castanho s/ rosa, laranja s/ salmão e 1 Escudo verde escuro s/ azul.


(Baseado em “Selos de Portugal” Ed. Electrónica vol. II de Carlos Kulberg)


Uma reprodução do primeiro selo da República, aqui representado, com o valor de ¼ centavos pertencendo à minha colecção.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog