quarta-feira, 8 de outubro de 2008

RESENHA DA QUINZENA - CONTOS FABULOSOS

Por Gustavo do Carmo



Aos 85 anos Millôr Fernandes já é um decano da imprensa brasileira. Começou a trabalhar aos 14 e desde então já foi contínuo, traduziu, desenhou, escreveu crônicas, poemas, contos e até peças de teatro. Trabalhou em revistas e jornais como O Cruzeiro, Pif Paf, O Pasquim, Jornal do Brasil, O Dia e Veja, para a qual atualmente escreve. E já publicou vários livros. Mesmo assim, confesso que mal lia o colunista. Mal para não dizer nada. A imagem que eu tinha do Millôr, até então, eram aqueles desenhos feitos por ele mesmo, principalmente da sua assinatura.

Decidi corrigir a minha ignorância e comprei a sua coletânea Contos Fabulosos. Aliás, peço licença para ser irônico como o autor e dizer que comprei, na verdade, metade da sua obra. Millôr lançou, junto com os Contos Fabulosos, as Novas Fábulas Fabulosas. Ambos foram publicados pela Editora Desiderata e são vendidos em uma caixa, mas podem ser comprados separadamente, exatamente como eu fiz. Apesar de eu o conhecer mais pelas suas charges, o livro foi ilustrado por um amigo: o cartunista Angeli.

Como toda fábula, a maioria dos Contos Fabulosos apresenta uma moral da história. A incoerência da frase anterior se justifica pelo fato de alguns contos não terem a tal mensagem. Talvez por não precisarem, talvez porque o autor não fez (o livro é uma coletânea dos textos publicados nos jornais Pasquim, Pif Paf e na revista Veja) ou ele se esqueceu mesmo. Mesmo caso das notas de rodapé que também foram escritas de uma forma sarcástica.

Por causa do humor ácido e da linguagem coloquial dos textos, em alguns momentos cheguei a ter a impressão de que estava lendo um livro de piadas, de melhor nível do que aqueles pocket-books do Ary Toledo comprados em bancas de jornal. Como é o caso dos contos Linha de montagem, Os Vizinhos de cima, O Sargento e o aviso fúnebre e Três é demais. Alguns são um pouco mais sérios e fazem homenagens a grandes escritores como Clarice Lispector, para dar um exemplo. Os demais têm comédia, mas não chegam a ser uma piada propriamente dita, com destaque para o conto Patchulala. E foi justamente através destes que eu fui apresenado definitivamente ao estilo de Millôr.

SOBRE O LIVRO
Contos Fabulosos
Millôr Fernandes
Editora Desiderata
2007
Formato (a x l): 23x16 cm
220 páginas
Preço sugerido: R$ 29,90 (só os Contos Fabulosos) / R$ 54,90 (caixa com Contos Fabulosos e Novas Fábulas Fabulosas)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog