quarta-feira, 10 de setembro de 2008

RESENHA DA QUINZENA - UMA VIDA INVENTADA


Duas biografias em uma única mulherPor Gustavo do Carmo

A atriz Maitê Proença, que somente agora retorna em Três Irmãs, estava afastada das novelas globais há três anos. Neste tempo dedicou-se ao programa Saia Justa, do canal a cabo GNT, ao teatro e à literatura. Nesta última atividade fez sucesso com o livro Entre ossos e a escrita, uma coletânea das crônicas que ela escreveu para a revista Época, organizada pelo selo Agir, do Grupo Ediouro. No início deste ano publicou, pela mesma editora, a sua segunda obra, Uma vida inventada.
Neste novo livro, Maitê, brilhantemente, criou duas histórias em um único livro, mas que se relacionam entre si. Não podemos chamá-lo claramente de romance e nem de biografia porque é difícil distingüir o que é real e o que é fantasia. Acertadamente a autora ajudou o leitor a identificar, visualmente, qual história era a ficção (escrita com letras pequenas) e quais eram as suas memórias (no tamanho normal). Mas, pelo que a atriz dar a entender no subtítulo (Memórias trocadas e outras histórias), também há verdade na estória e algumas mentiras na sua história.

A realidade salta aos olhos na parte fictícia, sobre a menina de doze anos, seu alter-ego, que vai morar com o pequeno irmão caçula em uma hospedaria luterana depois que o seu pai matou sua mãe a facadas quando descobriu uma traição conjugal. O pai foi internado numa clínica de repouso para escapar da prisão. Quando cresce, quis desbravar o mundo para descobri-lo, mas acabou descobrindo a si mesma. Esta é a verdadeira história da atriz, que compreensivelmente não gosta de comentá-la em público, mas já é conhecida. Talvez por esse motivo, a tragédia tenha entrado nesta parte.

A biografia de Maitê foi reservada para as memórias das andanças que ela fez pelo Brasil e pelo mundo com o primeiro namorado na adolescência e também depois de famosa, a descoberta do sexo e das drogas, o início da carreira de atriz e a relação com a filha adolescente, única que teve na vida, e o ex-marido, pai da menina. Este e outros personagens foram mencionados através de falsas iniciais. Sem falar das reflexões sentimentais sobre a carreira de atriz, a fama, a busca espiritual, a vida cotidiana e o falso moralismo da sociedade.

A leitura foi rápida pela facilidade da linguagem e envolvente pelo interesse por detalhes íntimos que a atriz jamais contou em entrevistas na imprensa. O lirismo não foi tão exagerado. A história da menina acabou me agradando mais do que a vida real da própria autora. É porque, em um certo momento, a biografia de Maitê se transformou em um entediante guia de viagens proibitivas para leitores da minha classe social. Verdadeiras ou não, em Uma Vida Inventada temos duas biografias em uma única mulher dentro de um mesmo livro.


SOBRE O LIVRO

Uma vida inventada - Memórias trocadas e outras histórias
Maitê Proença
Editora Agir
2008
Formato (a x l): 23x15,5 cm
214 páginas
Preço sugerido: R$ 29,90

Nenhum comentário:

Arquivo do blog