quarta-feira, 24 de setembro de 2008

RESENHA DA QUINZENA - FORD BICHOS



Vão deixar saudades
Por Gustavo do Carmo

Depois de dois anos e dezenas de episódios termina a campanha Bichos da Ford. O objetivo foi mostrar que as condições de compra para um carro da empresa eram tão favoráveis que pessoas de todas as classes sociais podiam comprar. Só não comprava quem era bicho. E foram exatamente estes que se sentiram rejeitados.

O hipopótamo manhoso, o cachorro estressado, a zebra metida a esperta e a simpática vaca muda que tossia ou voava, de acordo com o ditado popular, tentaram durante todo esse tempo comprar um carro da Ford. Mas eram sempre desacreditados pela girafa estraga-prazeres que, de óculos escuro e colares, no melhoe estilo perua, os faziam se tocar com o bordão: "Hello! A gente é bicho, baby! Bicho não compra carro".

Os planos foram muitos: invadir a concessionária cavando buraco, comprar por telefone usando nome de gente, fazer fórmulas matemáticas, usar máscara, tentaram a ajuda do Bel vocalista do Chiclete com Banana e até contrataram um motorista que, por ingenuidade também era bicho - uma hiena debochada. Em alguns os bichinhos se mostraram conformados e cantavam música sertaneja (Vou Chorar, de Leandro e Leonardo), andavam de helicóptero pela fábrica, iam ao cinema (o cachorro e a vaca tiveram até um romance no escurinho), freqüentaram a escola, sonhavam (o cachorro dirigindo e cantando funk), corriam atrás de carro (mais uma vez o cão que dizia "eu que sou cachorro tenho que correr atrás de carro") e se reuniam no Natal.

Eis que finalmente conseguiram realizar o sonho: apelaram para São Nunca, justamente o protagonista da antiga campanha de varejo da marca. O gordinho barbudo caía sempre do céu quando as pessoas diziam que só teriam um Ford no dia de São Nunca. E a prece foi feita pela zebra e o hipopótamo. Com todos dentro do carro, realizando o sonho e mandando o gordinho tocar eles finalmente se despediram, felizes da vida por andar em um Ford, cantando o bordão: "Aha! Uhu! É Nós de Eco!" (em referência ao jipe Ecosport, um dos produtos da marca). Com este filme, a série teve o seu último capítulo, tanto que ganhou até a legenda "O Fim".

Os bichos cairam na graça popular porque não são de verdade e nem bonecos em formato real. Foram caracterizados como fantoches de pelúcia. O sucesso gerou um DVD educativo sobre o trânsito, distribuído de brinde nas concessionárias e um site interativo na internet ( www.bichosdaford.com.br ). Ganhou também um blog com os vídeos da campanha: http://bichosford.blogspot.com . Mas houve quem se sentiu ofendido, argumentando que a campanha passava uma mensagem subliminar de que os animais são as classes menos favorecidas.

Polêmica á parte, os bichos foram criados e manipulados por Fernando Gomes, diretor do programa infantil Cocoricó da TV Cultura. A criação da campanha é da dupla Theo Rocha e Fábio Brandão, que tiveram a companhia de Ricardo Chester na direção. A equipe é da agência JW Thompson.

Com o desejo dos bichos realizado, a campanha deve finalmente ser substituída por outra. Se criarem uma continuação e a agonia deles continuar vai perder a graça. Portanto, é melhor nos despedirmos da bicharada que não só já merece um lugar na galeria de clássicos da publicidade brasileira como vai deixar saudades.





Um comentário:

adelaide amorim disse...

Foi uma campanha bem legal mesmo.
Abraço pra você.

Arquivo do blog