quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Erros na Filatelia

São muito variados os erros na filatelia portuguesa.

Mas afinal, em que consistem estes erros?

Um erro em Filatelia, consiste numa má cunhagem, omissão de uma letra, palavra, ou erro no desenho que se pretende representar. Estes erros, que na maioria são considerados crassos, na Filatelia, podem valer fortunas! Por exemplo, na emissão de D. Carlos (1895-1896), aparecem exemplares sem algarismos do valor ou com algarismos invertidos (na imagem, deslizamento do valor à direita).

Mas os erros na filatelia não se ficam por aqui. Citem-se sobrecargas e sobretaxas invertidas, diferenças de acentuação, por exemplo Guiné, Guinè; Portuguêsa, Portuguesa; Reis, Réis, de cor, deslocamentos do cunho, fundos, etc. e far-se-á a ideia dos muitos erros que possam existir.

É o que se passa com o selo do último artigo que trazia uma desfocagem.

Se o Leitor está recordado, a palavra “PROVISÓRIO” estava desfocada. Ora, este simples facto, faz com que este selo se valorize ainda mais. Porquê? Porque foram poucos os selos que saíram com este erro, são poucos os coleccionadores que o têm logo, o seu valor, é maior. E há muitos filatelistas que só coleccionam selos com erros.






D. CARLOS



Deslizamento da impressão do valor facial para a direita.

D. LUIZ

Dupla impressão da sobrecarga PROVISORIO.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog